10
out
2023

Prefeito Adailson Machado emite nota, ataca o TCE-MA e se complica ainda em fraude de R$ 5 milhões no Fundeb

Prefeito de Paulo Ramos fraudou o Censo Escolar 2022 e inventou a existência de 35 escolas em tempo integral para receber R$ 5 milhões de forma indevida, porém, o TCE-MA foi até a cidade e mostrou que tudo é de fachada.

Em resposta a publicação do Blog do Domingos Costa que revelou um esquema de fraude nos dados enviados ao Ministério da Educação (MEC) para recebimento de maiores valores do Fundeb (Fundo de Manutenção e Desenvolvimento da Educação Básica e de Valorização dos Profissionais da Educação), o prefeito da cidade de Paulo Ramos, Adaílson do Nascimento Lima, emitiu uma “nota de esclarecimento”

Na nota atabalhoada, o prefeito Adailson confirma que fraudou as informações enviadas ao MEC que resultaram no recebimento de R$ 5 milhões de forma irregular. E tenta justificar a fraude alegando a existência “atividades complementares no contraturno”. O que também é mentira e, na prática, aumentou ainda mais a fraude que pode complicar sua situação.

Ao MEC, o prefeito informou que possui 36 escolas em tempo integral e 3.266 alunos matriculados nesse regime, entretanto, o TCE-MA foi até a cidade e verificou apenas 01 escola que funciona em tempo integral e um quantitativo de 100 alunos matriculados nessa modalidade de ensino.

Portanto, Adailson fraudou a existência de 35 escolas e informando 3.166 alunos a mais, dessa forma, recebeu de forma indevido 4.948.394,68 (quatro milhões, novecentos e quarenta e oito mil, trezentos e noventa e quatro reais e sessenta e oito centavos) por consequência da fraude no Censo Escolar 2022.

A nota do prefeito faz questão de esquecer os principais pontos da Representação formulada por autores do TCE-MA. E, como se fosse um deboche a opinião pública, Adailson machado fala em “mal entendido” e diz que o TCE-MA constrange os municípios que foram fiscalizados.

“Diante do exposto, não apenas este município se depara com esse mal entendido entre o que ocorreu após a visita in loco dos auditores do TCE-MA  que vieram fiscalizar a infraestrutura das escolas de tempo integral como bem relatado na autuação, mas com relação em mãos de total de alunos e escola que ofertam Educação em tempo integral com atividades complementares no contraturno, causando a todos os 40 municípios visitados este constrangimento.” diz a nota.

– CLIQUE AQUI E CONFIRA A ÍNTEGRA DA REPRESENTAÇÃO –


LEIA TAMBÉM:

– Prefeito de Paulo Ramos “inventa” escolas em tempo integral, recebe R$ 5 milhões indevidos do Fundeb e vira alvo do TCE

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!