01
abr
2016

Só de fachada, empresa Contrex vende mais de R$ 3 milhões em notas frias em Bom Jardim

20141214_135324

Sede da empresa no subsolo de um edifício na Avenida 01 no bairro do Bequimão em São Luis é só de fachada.

R$ 3.203.842,60 (três milhões duzentos e três mil oitocentos e quarenta e dois reais e sessenta centavos), esse é o valor em recursos destinados pela prefeitura de Bom Jardim à empresa  Contrex Construções e Serviços Ltda, apenas com a finalidade de locação de máquinas e equipamentos, referente à gestão da prefeita Malrinete Gralhada (PMDB), com apenas sete meses no comando dos cofres municipais.

Além do valor fora da realidade bom-jardinense, chama atenção que no local onde deveria funcionar a empresa contratada, na Avenida 01 Nº 6A, sala 03 no subsolo de um edifício no bairro do Bequimão em São Luis, só existe uma sala vazia. 

Isso mesmo! Lá não há mesas, computadores, nem funcionários. O local funciona apenas como endereço de fachada sob a propriedade do senhor Lucas Fernandes Neto, o Dedé, que assina todos os contratos.

O blog apurou que o Dedé é apelidado pelos amigos de “empresário das notas frias”, conhecido por utilizar desse tipo de fraude para abocanhar contratos com prefeituras maranhenses. E olha que não são poucas.

Dedé sempre atua da mesma forma: Em comum acordo com o gestor público, justifica serviços não realizados por meio de notas fictícias, que são aquelas nas quais os serviços declarados não são prestados ou os produtos discriminados não são entregues.

Detalhes

Logo quando assumiu a prefeitura, no inicio de setembro de 2015, a prefeita Malrinete selou o primeiro contrato com dispensa de licitação, no valor de R$ 249. 202,00 (duzentos e quarenta e nove mil, duzentos e dois reais), com a empresa Contrex, aproveitando-se de um decreto de situação de emergência. O Extrato está publicado no diário oficial do dia 13 de novembro de 2015.

O segundo contrato foi assinado em janeiro deste ano, e publicado no dia 28, conforme o Diário Oficial. O valor é exorbitante, R$ 2.954.640,60 (dois milhões, novecentos e cinquenta e quatro mil, seiscentos e quarenta reais e sessenta centavos), fantasiado com o objetivo de execução de serviços de locação de máquinas e equipamentos pesados pelo período de 12 meses. Isto é, nada menos que R$ 246 mil/mês.

Histórico em Bom Jardim

viceprefeitavert

Gestão de apenas seis meses de Malrinete em Bom Jardim é tão suja quanto a da “prefeita ostentação”

Em setembro de 2015 a ex-prefeita de Bom Jardim, Lidiane Leite (PRB) ficou conhecida como a “prefeita ostentação” foi cassada após quase 40 dias foragida da policia federal. A vice Malrinete Gralhada (PMDB) assumiu a prefeitura, e agora sete meses depois, a situação da cidade continua caótica.

Em pleno mês de março algumas escolas estão ainda sem aula, a estrutura é a mesma deixada pela prefeita cassada. A prefeitura continua ainda sem o Portal da Transparência e as estradas dos povoados de Bom Jardim estão intrafegáveis.

Mas não deveria estar assim não, já que foram firmados os contratos de alugueis de maquinas e equipamentos pesados com a Contrex, que serviriam justamente para arrumar essas estradas bem como ruas na sede da pequena Bom Jardim.

Denúncia

contrex

Valor do contrato não deixa qualquer dúvida que trata-se de venda de notas frias…

De acordo com o extrato do contrato publicado no Diário Oficial, os serviços seriam iniciados em janeiro, no entanto, de acordo com denúncias dos vereadores Arão Silva e Sandra do Salomão – os mesmos que denunciaram Lidiane Leite – a população nunca viu nenhuma máquina que pudesse ser relativo a esse contrato.

“Até agora nós não conseguimos localizar uma maquina sequer dessa empresa, no endereço que consta no CNPJ, nenhum escritório ou funcionário existe”, disse a vereadora Sandra do Salomão.

Diante da denuncia, os parlamentares procuram investigar a empresa. Em uma visita in loco, foram até o local onde a Contrex teria sede, e puderam comprovar o que o blog já mostrou: Simplesmente uma sala vazia, todos os indícios indicam que trata-se de uma empresa de fachada.

“Se a ex-prefeita Lidiane cometeu algum ato de irregularidade, imagine o que a gente pode pensar em relação a atual prefeita Malrinete?”, indagou o vereador Arão Silva.

1 Comentário

  1. biné disse:

    Domingos não vai demorar muito você publicar a noticia que Dedé foi preso, pois faz bastante tempo que ele vende notas para prefeituras, e tudo feito de maneira ilícita um dia é descoberto.

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade