23
jul
2014

Saudação de Edinho Lobão foi inspirada no nazista Adolf Hitler

BIAMAN_PRADO_1233-LargeDesde a Convenção do PMDB, realizada na manhã de sexta-feira do dia 27/06, que o suplente de senador, candidato da oligarquia sarney, Edinho Lobão Filho (PMDB), decidiu usar um sinal de saudação que muito me chamou atenção.

Com o braço direito levantado no ar e para frente, Edinho pede que seus aliados façam o mesmo sinal no momento da foto oficial de seus atos políticos de campanha. Foi assim ontem, terça-feira 22/07, durante uma reunião com prefeitos aliados em São Luís.

Após alguns minutos de busca, o Blog descobriu com a ajuda do wikipédia a verdadeira inspiração de Lobinho, a razão pela qual decidiu esticar o braço direito em direção na direção da frente.

BIAMAN_PRADO_8416

Na primeira foto: Hitler fazendo a saudação nazista em uma parada militar. Na segunda imagem: Edinho Lobão durante a convenção repetindo o gesto do nazista.

Na verdade o sinal é conhecido como a saudação nazista ou saudação de Hitler, muito popular na época da Alemanha Nazista (saudação alemã), é uma variação da saudação romana, adotada pelo Partido Nazista como um sinal da lealdade e culto da personalidade de Adolf Hitler. Ganhou popularidade concomitantemente com à ascensão de Hitler. Consiste em esticar o braço direito no ar com a palma estendida para baixo enquanto se diz as palavras Heil Hitler (“Salve Hitler”).

A expressão é uma adaptação de Sieg Heil (“Salve a Vitória”). Foi primeiramente usada por Joseph Goebbels, ministro da propaganda da Alemanha Nazista. É-lhe atribuído o número 88, por ser H a oitava letra do alfabeto, formando 88 as letras HH, ou Heil Hitler

Para a saudação de Hitler o braço direito é levantado em um ângulo de aproximadamente 45 graus na horizontal e ligeiramente na lateral, embora muitas vezes seja utilizado em 90 graus, e acompanhado das palavras Sieg Heil!Heil Hitler!Heil mein Führer! (Salve, meu líder – quando endereçada ao próprio Hitler), geralmente dito em voz alta e repetidas três vezes.

O próprio Hitler usava frequentemente a saudação, e há muitas fotografias dele fazendo-a em multidões e em carros abertos. No caso de uma pessoa saudar a outra, as palavras são pronunciadas ao mesmo tempo, e o receptor deve levantar a mão direita sobre o ombro dizendo as mesmas palavras.

Portanto, essa foi a inspiração do candidato a governador da família sarney, evidentemente, com suas devidas adaptações.

5 Comentários

  1. blank Thiago Penha disse:

    Domingos Costa acho melhor você aprender a escrever, seu texto não passa de um “Ctrl C” e “Ctrl V” de artigos de internet, assim você acaba com sua classe profissional, isso se de fato for profissional de alguma área. Vai ai o conselho mero “copiador”!!!

  2. blank ANANIAS SALOMÃO NETO disse:

    Domingos Costa, você foi militante estudantil, sinal que você passou em uma escola para “estudar” ou “isto dar”, me responda quem mais matou em toda a historia foram os nazistas ou os comunista. Faça uma outra LEITURA, essa sua não ajuda em nada a formar opinião!!!!

  3. blank ANANIAS SALOMÃO NETO disse:

    O regime comunista matou mais de 100 milhões de pessoas no mundo
    Soldados marcham em desfile na China pelos 60 anos
    do regime comunista naquele país (foto: AFP)
    Para documentar a história sangrenta do comunismo, com o objetivo de honrar as mais de 100 milhões de vítimas dessa tirania e educar as gerações futuras sobre o passado, foi desenvolvido o website Global Museum on Communism (Museu Global do Comunismo, em inglês, disponível no endereço globalmuseumoncommunism.org).

    Na página, que é um portal de pesquisa e documentação histórica bastante respeitável, é possível encontrar seções como o “Hall da Infâmia”, onde estão as biografias de grandes líderes comunistas como Lenin, Stálin, Mao Tse-Tung (Mao Zedong), Ho Chi Minh, Pol Pot, Fidel Castro, – todos ditadores sanguinários e conhecidos pelo terror imposto aos povos das nações que governaram.

    Encontramos também as histórias de bravos homens e mulheres que sofreram como prisioneiros políticos em nações de regimes comunistas, por ousarem levantar a bandeira da liberdade.
    De acordo com os cálculos de diversas organizações, o número de mortos pelos regimes comunistas em todo o mundo, até hoje, chega a mais de 100 milhões(!). A China lidera o ranking, com o número de mortes estimado em 65 milhões de pessoas. Em seguida, aparecem a União Soviética, com 20 milhões; o Camboja, com 2 milhões; a Coreia do Norte, com 2 milhões; países africanos, que somam 1,7 milhão; o Afeganistão, com 1,5 milhão; países comunistas do leste europeu, com 1 milhão; Vietnã, com 1 milhão; a nossa América Latina, com 150 mil, entre outros.

    Os recursos gráficos do site incluem ainda a seção “Linha do Tempo”, que narra ano a ano os fatos que marcaram a história do comunismo, com vídeos e textos, além de galerias de imagens. O “Registro de Vítimas” permite que usuários de todo o mundo enviem seus relatos sobre a relação que tiveram com o comunismo. Há também artigos especiais com temas como “Economias pós-Comunismo”, “A Guerra na Religão”, “A Perseguição Chinesa aos Uigures”, entre outros.

    “Nosso museu serve como símbolo de esperança e lugar necessário para lembrança, nestes tempos em que muitos estão esquecendo o alto preço que o comunismo cobra, como a detenção da população e do resto do mundo livre. Educando sobre os horrores do passado e apontando os perigos atuais, o Museu Global do Comunismo assegura que ‘nunca novamente’ as nações e pessoas permitirão que uma tirania aterrorize o mundo”, declara o site.

    Informar-se – Um livro editado recentemente (2009) na França e já publicado no Brasil é referência para quem pretende ampliar seus conhecimentos sobre o assunto. O primeiro é O Livro Negro do Comunismo [(link para download, já que o livro não é mais vendido) tradução de Caio Meira; Bertrand Brasil; 917 páginas]. A obra, que reúne artigos assinados por diversos autores, é um retrato monumental das atrocidades cometidas pelo totalitarismo de esquerda através da História.

    O projeto de construir sociedades igualitárias por meio da mão forte do Estado custou nada menos que 100 milhões de vidas. A maior parte, naturalmente, ceifada nos dois gigantes socialistas: União Soviética e China.

    Importante especificar que o Livro Negro do Comunismo atém-se a fatos incontestáveis, dispensando acusações infundadas e/ou afirmaçoes puramente ideológicas. Os crimes do stalinismo, por exemplo, são conhecidos desde 1956, quando o então premiê soviético, Nikita Kruchev, os denunciou por ocasião do 20º Congresso do Partido Comunista da União Soviética. Era para ser um dossiê secreto, não fosse o correspondente capitalista do jornal The New York Times, que divulgou a terrível informação. Nunca, porém, as monstruosidades de Stalin foram descritas com tanta riqueza de detalhes.

    Lançado na França, o livro chamou a atenção e foi um grande sucesso. Não tanto pelos artigos que enfeixa, mas pela introdução assinada por seu organizador, o historiador Stéphane Courtois, um ex-maoísta convertido em crítico antagonista da ideologia marxista. Courtois defende a tese de que o comunismo é irmão gêmeo do nazismo, já que ambos utilizaram o genocídio como estratégia de reorganização social. “Os mecanismos de segregação e de exclusão do totalitarismo de classe se parecem muito com aqueles do totalitarismo de raça”, escreve ele.

    A tese de Courtois pode soar forte, mas encontra eco em alguns dos maiores pensadores do nosso século, como a filósofa alemã Hannah Arendt, profunda conhecedora da história e da ideologia nazista. Ela observou que, de fato, os princípios do comunismo e do nazismo têm muito em comum. Ambos dividem o mesmo credo num partido único, que deve controlar de forma absoluta o aparato estatal. Além disso, amparam-se em ideologias incontestáveis, recorrem à polícia política e à repressão implacável dos dissidentes.

    A principal diferença entre o terror nazista e o comunista é que o último se prolongou por muito mais tempo e, portanto, colecionou mais vítimas. A partir de 1917, quando os bolcheviques tomaram o poder na Rússia, até 1953, quando Stalin morreu, os expurgos, a fome, as deportações em massa e o trabalho forçado nos gulags (campos de concentração de presos políticos) mataram 20 milhões de pessoas na União Soviética(!). Só a grande fome de 1921-1922, causada em boa parte pelo confisco de alimentos dos camponeses, acabou com mais de 5 milhões de cidadãos(!). Na virada dos anos 1920 para os 1930, a coletivização forçada do campo representou uma declaração de guerra do Estado soviético contra os pequenos e médios produtores rurais. A etapa final desse processo foi outra terrível fome, entre 1932 e 1933, que ceifou mais 6 milhões de vidas(!).

    Em outros países que adotaram o regime marxista, os números da matança são igualmente eloquentes. A fome causada pelo projeto chamado “grande salto para a frente”, implantado por Mao Tsé-Tung em meados dos anos 50, deixou um saldo espantoso de 65 milhões de mortos(!). Em termos proporcionais, o maior genocídio comunista foi no Camboja. O Khmer Vermelho, com sua obstinação em transferir a população das cidades para o campo, matou de inanição e cansaço nada menos do que 25% dos habitantes do país entre 1975 e 1979(!).

    Os adeptos do marxismo/comunismo sempre se esquecem de que, no comunismo, o totalitarismo é regra. Jamais se ouviu falar de um país socialista com representantes eleitos pelo voto, liberdade de imprensa e de associação. Já o regime político que melhor se coaduna com a livre iniciativa e a propriedade privada é o da democracia liberal. Sobre esta última, talvez a melhor definição seja a do ex-primeiro-ministro inglês Winston Churchill. Em 1947, ele disse: “A democracia é a pior forma de governo, salvo todas as demais formas que já foram experimentadas”.
    http://www.blogdobruno.com/2012/11/o-regime-comunista-matou-mais-de-100.html

  4. blank jose santos disse:

    GOSTO MUITO DE LER SEU BLOG.MAS CONVENHAMOS QUE ESSA POSTAGEM DEMONSTRA UM CERTO DESESPERO DOS QUE SEGUEM O COMUNISTA E QUE SE INCOMODAM COM A CANDIDATURA DE LOBÃO FILHO. QUERER COMPARAR UMA SIMPLES SAUDACÃO DA POLITICA ATUAL EM FORMA DE “L” COM A MARCA DE UMA MANCHA NA HISTORIA MUNDIAL JA É UM POUCO DOENTIO.

  5. blank MARGARIGA disse:

    SOU FLAVIO DINO ATÉ O FIM, MAS ESSA POSTAGEM FOI DEMAIS!
    ELE NÃO PRECISA DISSO PRA SE ELEGER. TÁ QUEIMANDO O FILME DO TEU CANDIDATO…..OU TÁ FAZENDO DE PROPÓSITO?

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo