16
jul
2014

ROTAM tem histórico de problemas em abordagens contra colegas policiais

Policial Militar registrou agressão sofrida por PM’s da ROTAM

Apesar de reativada há pouco tempo, existem diversos processo de Policiais Militares contra a Ronda Tática Móvel (Rotam). Casos que se investigados a fundo, podem até se assemelhar ao do Sargento Lima Filho.

Segundo Termo de Declaração do cabo Renato Silva Freitas, lotado no 6º Batalhão, na noite da última sexta-feira 11/07, uma viatura com PM’s da ROTAM o abordaram de forma errada e agiram com muita agressividade o tratando de forma desrespeitosa.

O cabo que se diz vítima, estava na Rua Cônego Ribamar Carvalho, nas proximidades do terminal da integração do São Cristóvão, quando foi abordado e destratado pelo cabo Madeira que comandava uma viatura da Rotam.

 “Ele estava extremamente agressivo e tratou de forma desrespeitosa o cabo Renato. Mesmo depois que o cabo se identificou como policial militar as agressões continuaram, com palavras de baixo calão, sendo chamado de porra por diversas vezes” Disse o PM Renato.

Mais outro caso

Outro registro de má abordagem contra policiais, desta vez, de um PM – barra 2010 – que não quis se identificar. Uma viatura o abordou  e o tratou como um marginal, humilharam ele mesmo depois de ter se identificado. Veja nos relatos do soltado abaixo:

“Eu fui abordado por uma guarnição da Rotam no Turu, simplesmente porque fiquei olhando para Viatura, no intuito de ver se conhecia algum polícia. Aí o verdinho (policial novato) mandou eu encostar. ‘ -Ei caralho encosta ai!’ disse o verdinho de dentro da viatura. Eu Falei:’ ‘- Compadre eu sou PM, e não é assim que se aborda independente do que eu fosse (detalhe, todos com a pt’s em punho)’, e dentro do meu carro estava eu e minha mulher grávida, falei para eles que estava armado e que após me identificar irei comunica-los, quando me identifiquei os PM’s ficaram pianinho, pedindo desculpas. Agora senhores olha a falta de experiência, além da abordagem errada, estavam fora da área e descumprindo uma determinação de fazer um PB na rotatória da Cohab. Quando falei em ligar 190 e comunicar o fato ao oficial responsável pelo policiamento, quase choram. Só não fiz nada porque a situação ficou tão vexatória para eles que minha própria mulher pediu para que eu não fizesse nada… Resumo da obra ou essa turma começa a ver que polícia é união e companheirismo ou vão ser odiados pela tropa!” Relatou o policial.

Esses casos, curiosamente, surgem quando a relação entres as policiais andam estremecidas por demais, desde a morte do sargento Lima Filho, em um suposto confronto na Avenida Daniel de La Touche, no Maranhão Novo.

1 Comentário

  1. Clodoaldo Gomes disse:

    Esses PM’s estão sentindo na pele o que é ser humilhado, com raras exceções é assim que a polícia aborda o cidadão, todo abordado é bandido até que prove ao contrário!

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade