30
jul
2014

Quais os beneficiados e a instituição envolvida na fraude em vestibular de Medicina no MA?

A Superintendência Regional do Maranhão da Polícia Federal confirmou ontem terça-feira (29) a existência de fraude em processos seletivos – aplicados entre os anos de 2010 e 2014 – de instituições de ensino superior do Estado que ofertam vagas nos cursos de Medicina. Segundo a PF, um dos autores da ilegalidade já foi identificado .

A polícia ainda não divulgou o nome da Instituição de Ensino e os alunos que foram beneficiados. Com base nas investigações, além dos golpistas, a PF já identificou também as pessoas que compravam vagas de Medicina nas instituições de ensino e confirmou que era cobrado até R$ 100 mil por candidato. Ainda segundo a polícia, pela participação no golpe, cada beneficiado deverá responder por formação de quadrilha e falsidade ideológica.

A PF no Maranhão apura ainda novas informações sobre o caso em parceria com o Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado do Ministério Público Estadual do Estado do Piauí. Segundo as investigações policiais, na primeira etapa da fraude um golpista – de posse de documentos falsos – se passava pelo candidato que pretendia comprar a vaga. Uma segunda pessoa, também contratada para participar da fraude e com alto nível de conhecimento, se submetia à prova no lugar do candidato verdadeiro. Mas, essa pessoa também não teve o nome divulgado.

Ainda segundo a PF, na etapa seguinte do golpe os fraudadores faziam uso de pontos de voz instalados nas carteiras das salas onde eram aplicadas as provas para que o suposto candidato recebesse as respostas do gabarito.

Em janeiro de 2013, a PF revelou a existência de fraude semelhante no acesso de interessados em cursos de Medicina de universidades situadas em seis estados do país, incluindo o Maranhão.

Por meio de interceptações telefônicas com registros de conversas de novembro de 2011, um aluno, que estava na ocasião se submetendo ao processo seletivo para uma vaga no curso de Medicina em uma universidade do Maranhão, foi flagrado recebendo – por meio de ponto eletrônico – o gabarito oficial da prova.

À época, o Ministério da Educação (MEC) informou que as pessoas apontadas como responsáveis ou envolvidas no crime seriam punidas com a cassação do diploma, caso tivessem concluído o curso.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

TV TIMBIRA

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo