08
ago
2016

PCdoB do Maranhão desmente acusação contra campanha de Flávio Dino em 2010

Neste domingo (07), o Diretório Estadual do PCdoB negou por meio de nota a acusação de que a campanha do governador Flávio Dino tenha recebido recursos de caixa 2 da Odebrecht nas eleições de 2010.

Veja a nota abaixo

Diante de texto publicado pelo jornalista Lauro Jardim, o PCdoB do Maranhão esclarece que não é verdadeira a existência de caixa dois para financiamento da nossa campanha eleitoral a governador em 2010, supostamente oriunda da empresa Odebrecht.

Na ocasião, fizemos uma campanha com escassa estrutura, enfrentando um dos maiores impérios da política brasileira: o grupo Sarney.

A prestação de contas com o que foi gasto durante a campanha foi apresentada à Justiça Eleitoral e aprovada, o que torna a suposta notícia ainda mais absurda.

1 Comentário

  1. Mario Cardoso disse:

    PROJETO PESSOAL DE FÁBIO CÂMARA TERMINA DE
    ACABAR COM O PMDB EM SÃO LUÍS.

    Roseana, filha do experiente Sarney, desautorizou o PMDB, como cabeça de chapa, de concorrer às eleições municipais deste ano e indicou Wellington do Curso. Lobão, o filho e em nome do pai, colocou Eliziane Gama debaixo do braço e foi peitar Fábio no partido, irredutível, nada aconteceu. Traduzindo, Lobinho foi rifado de concorrer ao governo do Estado por antecipação.

    João Alberto, o rapina, percebendo a falta de visão partidário do vereador, por diversas vezes acenou pela retirada da candidatura ao Executivo Municipal, entretanto, a promessa de ter, em São Luís, um forte coordenador de campanha ao Palácio dos Leões deixou-lhe zonzo.

    Como Carcará costuma dizer por onde passa; “Todos têm seus interesses…”. E pelos seus interesses o pássaro cai na arapuca.
    Outros caciques, Roberto Costa e os Murads, já sabem que o projeto de Fábio vai detonar a vaga de um deles em 2018 e por isso lutaram contra a candidatura de Câmara, mas em vão. Apenas Hildo Rocha segue o caminho de João Alberto também na esperança de uma dobradinha na Capital. Hildo apenas esqueceu que João Marcelo enveredou primeiro no mesmo conto.

    O projeto de Fábio Câmara não é apenas pessoal, mas pequeno. Segue peitando uns pemedebistas, ganhando outros no gogo e pisando na cabeça do restante. Pensando apenas na candidatura majoritária, semana passada, Fábio explodiu os candidatos do PMDB ao vendê-los, como bucha de canhão, por seiscentos mil reais. No pacote de negociação também entrou doze assessorias, quatro de cada futuro vereador do PRP – Afonso Manuel, Nato e Sebastião Albuquerque – o trio esta saltitantes de alegria.

    O dinheiro, duzentos mil de cada, pagos por Afonso Manuel (leia-se Helena Duailibe), Nato e Sebastião Albuquerque, será usado na campanha dois de Fábio e as assessorias alimentarão parte de seu grupo nos próximos dois anos. Já para o segundo turno, com os votos trazidos pela tríade do PRP e os lisos do PMDB, Fábio Câmara pretende negociar uma secretaria em troca de apoio e assim, manter-se vivo até 2018, quando disputará uma vaga a Assembleia Legislativa. Ricardo Murad que o diga… “esse menino é de ouro”.

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade