Construção do Núcleo de Educação Integral de Açailândia.

Investir em educação tem sido uma das marcas do Governo Flávio Dino em todas as regiões maranhenses. A implantação de projetos como o Escola Digna, Instituto de Educação, Ciência e Tecnologia do Maranhão (IEMA), Núcleo de Educação e a construção de novas escolas de ensino regulares nos municípios, tem dado um salto positivo no mapa da educação no Estado.

O Governo do Maranhão, através da Secretaria de Estado da Infraestrutura (Sinfra) já investiu mais de R$ 312 milhões e está trabalhando em 115 projetos de obras educacionais, entre serviços de construção, reforma e ampliação em 77 cidades, presente assim em todas as regiões do Maranhão.

“Isso mostra o comprometimento do governador Flávio Dino em desenvolver o nosso Estado. Essa é verdadeira transformação, mudar a realidade educacional, proporcionar uma estrutura com qualidade para alunos e professores tem sido o nosso primeiro passo. Além disso, as obras têm gerado emprego e colaborado com a economia de cada município”, diz Clayton Noleto, Secretário de Estado da Infraestrutura.

Núcleo de Educação Integral 

Criados pelo Governo do Estado, os Núcleos de Educação Integral fazem parte do mapa de obras educacionais, tendo sete unidades com serviços em andamento. As estruturas são pensadas para ofertar aulas além do que já é oferecido pelo ensino regular. Desse modo, os alunos passam a desenvolver pesquisas laboratoriais, atividades artísticas, reforço escolar entre outras ações.

Em Açailândia, na região Sul do Estado, por exemplo, após a conclusão das obras o núcleo terá um espaço amplo e estruturado, composto por salas de descanso, de professores, grêmio, matemática, multifuncional, recursos audiovisuais, artes idiomas, artes marciais, biblioteca, informática, laboratórios de Física; Matemática; Robótica; Química; Biologia, quadra poliesportiva, auditório, vestiário, quatro salas temáticas, secretaria, coordenação, ambulatório, almoxarifado e pátio.

Os moradores da cidade estão animados com a ação. “Essa é a melhor coisa que já aconteceu em Açailândia. Os nossos jovens vão ganhar mais suporte para a educação e de quebra nosso bairro vai ser mais valorizado, os imóveis. Tudo melhora e todos ganham com um investimento desse”, finalizou a dona de casa Luzenir Pereira.

Além da criação dos Núcleos, o Governo do Estado mantém uma linha de atuação para a construção, ampliação e reforma de prédios escolares. No total, são 30 obras de novos espaços que em breve estarão sendo utilizados pela comunidade escolar em diversas cidades maranhenses.

IEMA

Para estimular o ensino, a pesquisa e a formação técnica, os IEMAs têm avançado a cada dia no Estado. O Governo do Estado tem investido R$ 200 milhões em 18 projetos que estão com obras em andamento.

Em Presidente Dutra, mais de 50 profissionais trabalham para finalizar os serviços. Raimundo Alves, mestre de obras, destaca como a obra tem impacto positivo na vida econômica e social dos moradores da região. “Estamos trabalhando com muito empenho, são mais de 50 pessoas executando o projeto. Uma obra como essa já começa a trazer benefício desde o início da construção, pois tem gerado emprego e renda para muitas famílias da região” destaca.

O IEMA é a primeira escola pública do Estado a ter o selo das Escolas Associadas da Unesco. Em todo o Estado, o Governo já implantou 25 prédios, entre Unidades Plenas e Vocacionais.

Escola Digna 

A parceria entre a Sinfra e a Secretaria de Educação (Seduc) garantiu avanços na substituição das escolas de taipa por novas estruturas totalmente projetadas para atender as necessidades de cada comunidade escolar. O mês de novembro ganhou novos serviços em andamento e as equipes atualmente seguem trabalhando em quarenta cidades, com a construção de mais sessenta e duas escolas.

A última entrega aconteceu em Riachão, onde a cidade recebeu o prédio totalmente renovado da Escola Municipal Santa Genoveva, em substituição ao antigo prédio de alvenaria, mas, que funcionava em condições insalubres. Já a população do povoado Pedra Furada, na cidade de Formosa da Serra Negra, recebeu a nova unidade da Escola Municipal Santa Dionísia.

O secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão avalia o programa e reforça que as obras têm avançado e mudado a vida da comunidade escolar do Maranhão. “O programa Escola Digna, do Governo do Estado, continua avançando em locais que necessitam de um prédio escolar digno e de qualidade para. A meta do governador Flávio Dino é garantir educação de qualidade a todos os maranhenses, ” reforçou.

As duas escolas estavam com espaços em péssimas condições e foram substituídos por uma estrutura adequada e segura para alunos e professores, com salas de aula, ventiladores, banheiros adaptados, biblioteca, sala de informática e salas administrativas. O Programa Escola Digna já entregou mais de 800 unidades em todo o Estado.

======================================================   COMENTÁRIO






O celular foi encontrado próximo ao 50° BIS

O prefeito da cidade de Davinópolis, Ivanildo Paiva (PRB), foi assassinado na manhã deste domingo (11). As primeiras informações afirmam que Ivanildo teria sido sequestrado na noite deste sábado (10), em sua chácara, no povoado Jussara, zona rural da cidade.

De acordo com a Polícia Militar, o corpo do político foi encontrado junto do seu segurança, que não foi identificado. O prefeito estava em companhia de seus segurança e todos foram levados em sua caminhonete, que mais tarde foi localizada com manchas de sangue, nas proximidades do 50 BIS em Imperatriz.

O corpo do prefeito foi localizado por volta das 9h no povoado Mata Grande.

As primeiras informações apuradas pelo 14° BPM, já foram repassadas à Delegacia de Homicídio e Proteção à Pessoas. Ainda não há informações sobre a causa da morte. Equipes do Instituto Médico Legal (IML) e da Polícia Civil também foram encaminhadas para realizar perícias e iniciar as investigações sobre o caso.

Filho assassinado em 2008

Ivanildo Paiva de Barbosa Júnior, filho do então prefeito foi morto por policiais militares em Imperatriz.

Ivanildo Júnior desapareceu na madrugada de 13 de setembro daquele ano. O estudante, então com 19 anos, voltava de uma festa realizada no Parque de Exposições de Imperatriz.

Após deixar amigas em casa, a vítima teria sido abordada pelos então PMs Smailly Araújo Carvalho da Silva e Antônio Ribeiro Abreu, quando foi transportado no porta-malas do carro até a Estrada do Arroz. No local, foi espancado e morto com um tiro na nuca disparado por Abreu. O corpo do estudante foi encontrado oito dias depois, enterrado em uma cova rasa.

Os policiais foram condenados a mais de 20 anos de prisão.

======================================================   COMENTÁRIO






Mesmo sem ainda ter entrado em campo nesta rodada, a antepenúltima da Série B, o Sampaio Correa, representante maranhense na competição, amargou um novo rebaixamento.

O CRB conseguiu, mesmo jogando em Santa Catarina, empatar com o Criciúma em 3×3. O CRB é o primeiro time fora da zona de rebaixamento e abriu agora dez pontos para o time maranhense, o penúltimo na disputa.

Como o Sampaio só tem três jogos a disputar e consequentemente somar nove pontos, o Sampaio amarga o segundo rebaixamento da Série B em apenas três anos. O time caiu em 2016, conseguiu subir em 2017 e voltou a cair agora em 2018.

Desta forma, o futebol maranhense ficará sem representantes nas duas principais séries do Campeonato Brasileiro A e B. Já na Série C, além do Sampaio que desceu da B, o time do Imperatriz que subiu da D, serão os representantes do futebol maranhense.

Na Série D também serão dois representantes, o Moto Club, atual campeão maranhense, e uma equipe que sairá de um seletivo que será iniciado neste fim de semana.

Agora é torcer que 2019 seja um bom ano para as equipes maranhenses.

======================================================   COMENTÁRIO






Governador Flávio Dino concede entrevista ao Le Monde

Le Monde – Reeleito para seu segundo mandato como governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB) analisa as perspectivas políticas para os próximos anos, as relações de sua região, onde a esquerda saiu vitoriosa, com o futuro governo e as dinâmicas da corrida eleitoral. “Se o programa de Guedes tivesse sido apresentado, Bolsonaro perderia a eleição”.

Se Jair Bolsonaro se identifica com Pinochet e Paulo Guedes promete aplicar uma agenda econômica semelhante ao que o ditador chileno fez no país andino, o governador do Maranhão Flávio Dino, 50 anos, tem como referência o ex-presidente chileno Salvador Allende — um marxista declarado que chegou ao poder pelo voto democrático.

Nascido na capital São Luís, Dino acredita que foi a Greve da Meia Passagem — popular movimento estudantil maranhense de 1979, brutalmente reprimido pela polícia — um dos principais fatores que o levou para a política. “Eu tinha onze anos e assisti tudo da minha janela, vi passeatas, policiais batendo em estudantes, bombas de gás lacrimogêneo. A greve ‘abriu minha cabeça’. Simultaneamente tivemos a campanha da anistia, meu pai tinha sido cassado em abril 1964, ele era deputado estadual. Eu tenho o telegrama do comando do exército determinando a cassação dele por ser comunista, e ele nem era (risos). Mas naquela época, assim como nos dias de hoje, tudo que era contestador era classificado como comunismo”, afirma o governador.

Formado em direito na Universidade Federal do Maranhão, advogou para uma série de sindicatos, e aos 25 anos passou no concurso para juiz federal, coincidentemente o mesmo em que Sérgio Moro foi aprovado. Abandonou a magistratura 13 anos depois para entrar na política. “Quando considerei que havia uma transição a ser feita no Maranhão do modelo oligárquico para uma sociedade mais aberta, pluralista, livre, resolvi me engajar nessa causa me filiando a um partido político (PCdoB), me elegi deputado federal e disputei três vezes o governo do estado, 2010, 2014, 2018, perdi a primeira e ganhei as outras duas”, explica.

Em entrevista ao Le Monde Diplomatique Brasil, o primeiro governador da história do Partido Comunista do Brasil prevê uma crise política em 2019 por acreditar que durante a corrida eleitoral a dupla Bolsonaro/Guedes ocultou a agenda econômica que pretendem implementar. Ciente de que a esquerda precisa se reorganizar, defende a criação de uma frente ampla baseada na experiência da esquerda portuguesa, além de afirmar que existem interesses internacionais que operam na desestabilização para que o Brasil não se torne uma potência mundial.

Você é conhecido por militar desde cedo, inclusive no DCE da UFMA. Como era atuar no movimento estudantil numa época em que existiam no mundo, com clareza, dois sistemas políticos…

É, eu sou da época pré-queda do muro de Berlim (risos). Nós nos situávamos de modo geral, e ainda hoje, no campo da esquerda. Havia um debate muito intenso sobre modelos de socialismo, porque naquele período tínhamos a União Soviética, China, Cuba… Havia uma discussão na militância política sobre os modelos na estruturação de uma nova sociedade. Mas, de modo geral, um sentimento anticapitalista, de que o capitalismo não é o final da história, que não é o modelo definitivo por ser concentrador de riqueza e excludente em relação à maioria da população.

Hoje o senhor prefere ser classificado como socialista ou comunista?

Pra mim, hoje, é a mesma coisa. Acho que foi superada aquela visão segundo a qual haveria uma sociedade sem estado, que iria caracterizar o comunismo como uma espécie de etapa superior do socialismo, em que a sociedade seria tão perfeita, tão utopicamente perfeita, que como não haveria classes sociais e injustiças, sequer haveria estado. Isso hoje é inexeqüível pela própria complexidade da sociedade, então pra mim hoje são termos sinônimos.

Mas no mundo de hoje ainda existe espaço para as utopias?

Sem as utopias ninguém vive. Temos que ter os pés na realidade, mas o olhar no horizonte. E as utopias estão no horizonte. Se você ficar preso no aqui e no agora, nas coisas tais quais ela são, você renunciou a vida. Então, temos que estar sempre sonhando, projetando, imaginando, mesmo coisas que da sua vida familiar, pessoal, profissional ou política sejam aparentemente irrealizáveis. Sempre temos que estar olhando para o horizonte, e a utopia é decisivo para que mantenhamos a pulsação existencial na direção transformadora. É claro que isso não deve gerar ansiedade ou agonia, mas precisamos de uma referência, de algo melhor. No meu caso, de que o mundo para ser bom tem que ser bom para todo mundo. Eu sei que gerações e gerações se passarão até que nós tenhamos uma sociedade efetivamente justa, mas eu acredito nisso e luto por isso, é minha utopia, é o que me impulsiona, que me faz todos os dias acordar e trabalhar muito. E acredito que nós temos que colocar um tijolinho na construção dessa utopia.

O que te levou a abandonar a carreira de juiz federal para entrar na política?

A magistratura tem que buscar a isenção, você não pode ser parte de conflitos, pelo menos essa é minha concepção – um e outro, agora, andaram alterando esses cânones. Mas, na minha visão, um juiz tem que ter um comportamento, no máximo quanto possível, que o legitime como arbitro imparcial dos conflitos alheios. Nesse sentido, um juiz não pode exercer com plenitude suas paixões, porque se não ele vai quebrar essa legitimação derivada de uma isenção e imparcialidade. E eu sou muito intenso nas coisas que eu faço, e considerava que havia uma antinomia entre os deveres do cargo de juiz com essa intensidade com que eu procuro fazer as cosias. Associado a isso, existia um limite profissional, porque na maioria das vezes, um juiz de primeira instância trata de casos individuais, de pessoas determinadas, e busca fazer justiça naquele caso, enquanto na política você está lidando, normalmente, com os interesses de milhares ou milhões de pessoas. Quando eu proferia uma sentença, por exemplo, em favor de um estudante ter acesso a educação, eu fazia justiça para uma pessoa. Quando eu construo uma escola, eu estou fazendo justiça para milhares de estudantes.

Eu gostava muito de ser juiz, e posso, inclusive, voltar a fazer com o maior prazer, mas considerava que naquele momento da minha vida, aos 38 anos, e considerando o que estava acontecendo no Maranhão, a desagregação do sistema oligárquico e a necessidade de construir algo novo, fiz a opção mais dura, porém mais congruente com meu jeito de ser e forma de agir.

A esquerda proporcionou avanços no começo desse século, mas o retrocesso foi muito rápido. Porque o Brasil parece estar eternamente condenado a ser um país do futuro?

Muito provavelmente porque não rompemos com características históricas que aprisionam o Brasil. Nós fizemos uma abolição da escravatura que manteve o racismo como algo estruturante da sociedade. Em certo sentido, o capitalismo foi implantado no Século XIX, mas mantendo a mentalidade da casa grande e da senzala. Superamos o regime militar, mas ao mesmo tempo mantivemos a impunidade dos torturadores. Eu te diria que são essas coisas do passado que nos escravizam até hoje, e nos impedem de conseguirmos caminhar para uma sociedade mais igualitária. Enquanto não enfrentarmos esses esqueletos do armário, ficaremos condenados o tempo todo a isso que você diz, essa agonia do eterno retorno. Essas transições imperfeitas ao longo da história fazem com que tenhamos muito retrocessos, exatamente por não completarmos a tarefa de superar esses demônios, sobretudo os demônios da escravidão negra, do passado colonial, da mentalidade de senhores de escravo, de casa grande e senzala, da naturalização da desigualdade, do sofrimento físico visto por alguns como legítimo para o exercício do poder, mediante, por exemplo, a tortura.

Agora um candidato venceu as eleições para presidente sem explicar muito sua agenda, simplesmente com o slogan de ser “contra tudo isso que está aí”, o que parece ser incoerente…

E neste caso ele é profundamente parte disso que estou falando. Todo esse legado, toda essa herança, está impregnado na candidatura dele, mas do que em qualquer outra pessoa.

Muito se diz sobre a reorganização da esquerda. Na sua opinião, como reinventar a esquerda brasileira e qual o papel dela nesse novo cenário que se desenha?

Em primeiro lugar, em relação ao governo Bolsonaro, eu não tenho nenhuma dúvida de que o lugar certo é na oposição. Uma oposição democrática, claro, respeitando o resultado das urnas, porém oposição. O segundo aspecto: é preciso, nesse instante, redescobrir a força e a organização das classes populares, porque são elas que podem ancorar profundamente um processo de mudança social num sentido de combate a desigualdade. Quando olhamos o resultado da eleição presidencial vemos claramente uma clivagem de classes entre o voto do Haddad e do Bolsonaro. Acho que isso é um sinal muito poderoso para a esquerda de onde está sua vertente principal de construção. As classes populares que tem maior interesse na superação da desigualdade, embora a superação da desigualdade obscena que o Brasil tem seja de interesse de todos.

Apesar desse interesse as classes populares ajudaram a eleger um candidato que terá como Ministro da Economia Paulo Guedes e agenda muito semelhante ao que foi o governo Pinochet no Chile. Você já disse em mais de uma oportunidade que prevê uma crise política em 2019. O que você espera dessa eventual crise e como olhar para o futuro com otimismo?

Eu sempre me refugio naquela fórmula gramsciana de “pessimismo na teoria, otimismo na ação”. Ou seja, você tem que ter criticidade na abordagem dos temas, porém acreditar que novas conjunturas se colocam. Apesar do aqui e o agora ser muito difícil e complexo, nós podemos transformar e devemos lutar para transformar. Porque eu imagino que haverá crise? O campo vitorioso, em primeiro lugar, não foi claro em relação ao seu programa de governo, por uma razão simples: se o programa da dupla Bolsonaro/Guedes tivesse sido apresentado ele teria perdido a eleição.

No momento em que esse programa vier à luz, a parte das pessoas que votaram em Bolsonaro acreditando que ele era antissistema irá ver que na verdade ele é uma engrenagem do mesmo sistema de sempre de dominação e de concentração de riqueza na mão de uma minoria. As privatizações propostas por eles vão fazer com que direitos sejam submetidos à lógica do mercado. A idéia da reforma da previdência de Paulo Guedes e Bolsonaro é o mesmo sistema que o Pinochet aplicou no Chile, em que cada um contribui para sua própria aposentadoria. Ou seja, quem mais tem contribui mais e vai ter uma aposentadoria melhor. Quem menos tem vai contribuir pouco e terá uma aposentadoria menor. Isso quebra o laço de solidariedade que é inerente ao conceito de previdência social que está na constituição de 1988, em que toda sociedade contribui para aqueles mais frágeis em razão de sua idade ou infortúnios possam usufruir de um final de vida digno. Então há um inhame de solidariedade que é rompido pelo regime de capitalização, e, ao introduzir esse modelo, os mais ricos deixam de ajudar os mais pobres e por isso a concentração de riqueza continua. A previdência deles é um modelo que tem tudo haver com esse sistema a favor da casa grande. E por isso eu antevejo uma crise política, porque na medida em que isso vier à luz, vai haver frustração de largas parcelas da sociedade, e imagino uma conjuntura muito parecida com o governo Collor, que no prazo de um ano ele já havia erodido praticamente toda sua popularidade.

Como a agenda econômica de Guedes/Bolsonaro deve impactar nos estados do Nordeste, sobretudo o Maranhão, governado por um comunista, onde o futuro presidente prometeu “varrer do estado”?

Só o voto popular do povo do Maranhão pode varrer o Partido Comunista do estado. Bolsonaro não é o “dono da vassoura”, quem é o “dono da vassoura” é sua excelência, o povo. E aí, só em 2022. Então, essa hipótese realmente não existe no contexto democrático.

O que eu espero, obviamente, é que seja possível discutir pautas de interesse da Federação e pautas de interesse do Nordeste. Como disse, a oposição é um exercício legítimo do estado democrático de direito. Não impede, é claro, que naquilo que disser respeito ao desenvolvimento regional, haja debate. Espero que o Nordeste seja preservado no que tem de mais importante para a estruturação de políticas de desenvolvimento. Me refiro, por exemplo, a obras de modo geral, ao Banco do Nordeste, a transferência constitucional de recursos para nacionais, que são devidos ao Nordeste não por benemerência, mas por uma correção de desigualdades históricas, regionais. Então, nós estamos reivindicando a manutenção de políticas de desenvolvimento regional que estão na constituição de 1988, e que são devidas em razão da má formação do federalismo brasileiro que fez com que o eixo mais dinâmico da economia brasileira durante períodos pretéritos sugasse energias das outras regiões do país. Então, nós queremos igualdade e chances de oportunidades. Por isso, defendemos as políticas de desenvolvimento regional.

Tenho muito medo de medidas que sejam antissociais. Por exemplo, se uma reforma da previdência selvagem for implementada, nós teremos o sacrifício das aposentadorias dos trabalhadores rurais para o futuro e isso seria um desastre social, eu te diria um genocídio, mas ao mesmo tempo teria um impacto econômico muito negativo nas nossas cidades do nordeste de modo geral, uma vez que a previdência social e aquele sistema de repartição que eu descrevi, é também um vetor de circulação de riqueza da economia local, de sustentação do comércio local. Então, eu gostaria de sublinhar que essas medidas antissociais, elas têm um efeito no beneficiário imediato, em quem deixará de se aposentar por hipótese, mas tem também um efeito dominó sobre as próprias atividades econômicas dessas cidades nordestinas, cujas redes de comércio e serviço dependem em larga medida, por exemplo, da aposentadoria dos trabalhadores rurais.

Se algumas características apresentadas por Guedes/Bolsonaro já nos permitem fazer uma analogia ao governo Pinochet, não é exagero dizer que seu governo no Maranhão se assemelha ao do atípico revolucionário Salvador Allende, que chegou ao poder pelo voto democrático se declarando abertamente um socialista marxista…

Eu tenho um pequeno busto do Salvador Allende na minha sala, inclusive (risos). Eu tenho alguns bustos ao lado dos meus santos. É um dos grandes ídolos que eu tenho. E um dos grandes livros que eu li é “Confesso que vivi”, do Pablo Neruda. Um livro autobiográfico, claro que é a história do Neruda, mas é muito “entrecortado” porque o Neruda foi Senador do Chile no período do Allende, então esse livro tem muito da intensidade daquele período chileno. Salvador Allende é um dos ídolos políticos que eu tenho, sem dúvida.

Monde

======================================================   2 COMENTÁRIOS






Dois homens vestidos com o uniforme da Companhia Energética do Maranhão (Cemar) foram presos nesta sexta-feira (9), em São Luís, após sequestrarem um carro da companhia e depois roubarem uma casa.

De acordo com a polícia, os dois foram identificados como Allysson Coelho Martins e Wanderson Soares Madeira, que usavam o uniforme para entrar com facilidade nas casas.

“Eles já vinham roubando pela cidade com a farda da Cemar e foram encontrados com uma arma de fogo. Eles roubaram o carro perto da UEMA, mas foram presos quando estavam na região do Tibiri”, contou o tenente-coronel Harlan Nascimento, comandante do 21º Batalhão da Polícia Militar.

Após a prisão, os dois foram levados para a Delegacia de Roubos e Furtos de Veículos, no bairro Vila Palmeira. O delegado Fernando Guedes afirmou que eles também utilizaram o veículo pra roubar um estabelecimento comercial e que serão sendo autuados por roubo circunstanciado e porte ilegal de arma de fogo de uso restrito.

Em nota, a Companhia Energética do Maranhão (Cemar) informou que está acompanhando as ações das autoridades policiais no sentido de esclarecer o uso e a origem do fardamento utilizado pelos bandidos.

“Na tarde desta sexta-feira (09), um colaborador da empresa Dínamo Engenharia – que presta serviços para a Cemar – foi abordado por bandidos armados no bairro da Maiobinha. O colaborador foi mantido refém e, após, deixado no Residencial Santo Antonio, bairro Maracanã. Os bandidos seguiram com o veículo e o fardamento da Companhia. A Polícia Militar localizou o veículo e os bandidos por meio do rastreador do carro e efetuou a prisão dos assaltantes em um posto na BR 135”, diz a nota.

(Com informações do G1MA)

======================================================   COMENTÁRIO






Os presidentes estaduais do PCdoB e do PPL, Márcio Jerry e Roberto Brandão, respectivamente, se reuniram hoje para tratar do futuro de ambos os partidos. Os dois são membros da executiva nacional das suas legendas e estão participando ativamente da incorporação do PPL ao PCdoB. O objetivo é a superação da cláusula de barreira.

======================================================   1 COMENTÁRIO






Os acusados Antonio Coelho Machado, Cleferson de Jesus Machado Vilaça e Josean Serra Rego foram condenados, respectivamente, às penas de 43 anos; 44 anos e 47 anos de reclusão, a serem cumpridas em regime inicialmente fechado.
A condenação se deu pelo Tribunal do Júri da Comarca de Rosário, pela acusação dos crimes de assassinato e ocultação de cadáver de uma criança e um adolescente; e tentativa de homicídio contra outro adolescente e um adulto, crime ocorrido no Povoado Periz de Baixo, município de Bacabeira, no dia 1º de agosto de 2017, motivado por suposto furto de porcos pelas vítimas em terreno de propriedade de Antonio Machado.
A juíza Karine Lopes Castro, titular da 1ª Vara de Rosário, presidiu o julgamento, finalizado na noite desta quinta-feira (8), no Fórum da comarca de Rosário, negando na sentença a possibilidade de os réus recorrerem em liberdade, já que permaneceram presos durante toda a instrução. (Informações do Jornal Pequeno).

 

======================================================   COMENTÁRIO






Novembro azul

Para alertar os homens sobre os cuidados com a saúde, incluindo a prevenção e o combate ao câncer de próstata e de pênis, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Estado da Saúde (SES), inicia a campanha Novembro Azul, nesta segunda-feira (12). Com o tema “Todo dia é um dia a mais para viver bem”, unidades da capital e do interior do estado intensificarão as atividades voltadas à saúde do homem.

“Estamos realizando uma série de ações na rede estadual de saúde, com o objetivo de sensibilizar os homens a adotar cuidados que previnam o câncer de próstata e outras doenças que também afetam a saúde masculina”, explica o secretário de Estado da Saúde, Carlos Lula.

A partir de segunda-feira (12), a SES inicia a programação com atividades simultâneas em unidades da rede estadual de saúde com roda de conversas, palestras, consultas e exames de sangue para detectar o nível de antígeno prostático especifico (PSA). Este exame é importante para o diagnóstico, monitorização e controle da evolução do câncer de próstata.

Na Região Tocantina, o Hospital Macrorregional de Imperatriz realizará exames de ultrassom e PSA, além de roda de conversa para pacientes e acompanhantes. Em Presidente Dutra, o Macrorregional promoverá palestra sobre a importância dos exames da próstata para o público alvo, acima dos 40 anos, além de agendar usuários para realização do procedimento.

Em Timon, o Hospital Regional Alarico Pacheco iniciou o agendamento de exame para PSA. Ao longo do mês, a unidade realizará o rastreamento dos casos com necessidade cirúrgica. Os casos confirmados passarão por procedimento na própria unidade, através do mutirão de cirurgias urológicas. O Hospital também promoverá rodas de conversa com pacientes e familiares.

A programação alusiva ao ‘Novembro Azul’ serão realizadas ao longo do mês, também, no Centro de Especialidades Médicas do Diamante, Centro de Especialidades Médicas da Cidade Operária, Maternidade Benedito Leite, Hospital Regional de Peritoró, Hospital Regional de Chapadinha, Hospital de Paulino Neves, Hospital Geral de Alto Alegre do Maranhão, Hospital Regional Adélia Matos, dentre outras unidades.

Box// PROGRAMAÇÃO SIMULTÂNEA
Dia 12
• Hospital Macrorregional de Imperatriz – Palestras e realização de ultrassom de próstata e PSA para 50 homens;

• Hospital Macrorregional de Urgência e Emergência de Presidente Dutra – Palestra e realização de exames de PSA, além de dicas de higienização e prevenção para que seja evitado a Síndrome de Fournier;

• Hospital Geral de Peritoró –  Palestra sobre prevenção do câncer de pênis, entrega de material informativo e café da manhã para pacientes;

• Hospital Regional Alarico Nunes Pacheco – Requisição de exame para PSA;

• Hospital Geral de Alto Alegre do Maranhão – Palestras educativas sobre o câncer de próstata e importância dos exames de sangue, imagem e toque;

•Hospital de Paulino Neves – Atividade de educação em saúde com ênfase na higiene íntima e câncer de pênis.

======================================================   COMENTÁRIO






A dinâmica da rodada permitiu que empresários maranhenses pudessem apresentar suas empresas e negócios para a embaixadora dos Emirados Árabes Unidos

Fortalecendo a agenda de atração e expansão de investimentos, o Governo do Maranhão, por meio da Secretaria de Indústria, Comércio e Energia (Seinc) e com intermédio da Secretaria Extraordinária de Programas Especiais (SEPE), promoveu uma rodada de negócios entre empresários maranhenses e representantes dos Emirados Árabes Unidos (EAU), no Palácio dos Leões, em São Luís. O encontro foi realizado na última terça-feira .

A dinâmica da rodada permitiu que empresários maranhenses pudessem apresentar suas empresas e negócios para a embaixadora dos Emirados Árabes Unidos, Hafsa Abdullah Al Ulama; Ana Flávia Félix, gerente de desenvolvimento de exportações da empresa Dubai Exports; João Paulo Paixão, chefe do escritório internacional Dubai Chamber no Brasil; e para Rodrigo Rangel, diretor financeiro da Yahsat, empresa de telecomunicações.

As apresentações à embaixada manifestaram o que as empresas locais tinham a oferecer, além de possibilitar um conhecimento mais amplo para os representantes dos EAU sobre as oportunidades que o Brasil oferece e como os empresários árabes poderão aproveitar as informações obtidas, abrindo portas comerciais para o Maranhão comercializar seus produtos, especialmente em Dubai.

De acordo com o secretário da Seinc, Expedito Rodrigues, a rodada de negócios fortalece a relação do Maranhão com os Emirados. “A agenda foi muito importante, pois pudemos apresentar as nossas diversidades. Estamos buscando novas oportunidades e, apresentando os potenciais do Maranhão, vamos construir projetos conjuntos. Nas relações internacionais, Dubai será o nosso próximo objetivo. O governador Flávio Dino já deu seu aval para isso acontecer”, disse.

A expectativa da visita ao Maranhão e da rodada de negócios para a embaixadora Hafsa Al Ulama, oferece a certeza de que as duas partes se conheçam melhor, somando as potencialidades do que cada um tem a oferecer. “Queríamos ver mais do que o Maranhão pode nos oferecer, entre as indústrias, produtos e empresas. Pretendemos aumentar o contato entre nós. Podemos promover feiras, visitas aos Emirados Árabes e fazer os EAU conhecer essas potencialidades do Maranhão. Aqui tem muitas coisas interessantes, apenas precisamos conectar as duas partes”, pontuou.

A empresária Ana Paula falou sobre o apoio que teve do governo durante sua apresentação. “A Seinc tem nos ajudado e nos preparado a estar no mercado de trabalho. Estamos à disposição para comercializar em outros países”, frisou.

Já o empresário Eduardo Monteiro elogiou a oportunidade criada pela gestão estadual. “Agradeço o convite do secretário Expedito para participar desse momento e apresentar nossos produtos”, informou Eduardo, que é proprietário da Biocana Doce Energia, empresa que dispõe de produção natural e canavial próprio.

Participaram da rodada de negócios Hélio Rodrigues, CEO da empresa Mídia Indoor; Eduardo Monteiro, proprietário da empresa Biocana Doce Energia; Ana Paula Grolli, diretora geral da empresa Sabor da Ilha/Gaia; Luiz Carlos Fernandes e José Carlos Chagas, diretores da Internacional Marítima; Marcelo Ribeiro e Daniel Arouche, diretor e gerente, respectivamente, do grupo Gera Maranhão; e Ilson Mateus Júnior e Ana Clara Freire, diretor e controller, respectivamente, do grupo Mateus Supermercados.

======================================================   COMENTÁRIO






Pela primeira vez, a TV Assembleia (canal aberto 51.2/17 TVN) fará uma rodada de entrevistas com os candidatos à presidência da Ordem dos Advogados do Brasil Seccional Maranhão (OAB-MA).

A iniciativa da Diretoria de Comunicação tem como objetivo promover o debate e a apresentação de propostas e ideias, uma vez que a atuação da OAB é de interesse não só da advocacia, mas de toda a sociedade. As entrevistas serão mediadas pela jornalista Natália Macedo e por Tarcísio Araújo, procurador-geral da Assembleia Legislativa, a partir da próxima segunda-feira (12).

A reunião entre a Diretoria de Comunicação e os representantes das chapas concorrentes, para a definição de todos os detalhes, aconteceu na manhã de quarta-feira (7), no Complexo de Comunicação. Na ocasião, foram acordadas as regras, definida a ordem dos entrevistados (por sorteio), horários, esclarecidas as dúvidas e apresentadas sugestões.

As entrevistas serão veiculadas no quadro “Sala de Entrevista”, do telejornal Portal da Assembleia, às 13h, com duração de 13 minutos e mais dois minutos para as considerações finais. Os candidatos responderão a temas sugeridos e livres. O primeiro entrevistado será o advogado Mozart Baldez, na segunda-feira (12), seguido da advogada Sâmara Braúna, na terça-feira (13). Já na quarta-feira (14) é a vez do advogado Aldenor Rebouças. Na quinta-feira (15), o entrevistado será o advogado Thiago Diaz. E no dia 16, Carlos Brissac.

“A OAB é uma entidade de grande representatividade perante a nossa sociedade. Diante desse cenário, da importância de todo o trabalho que é desenvolvido pela Ordem dos Advogados do Brasil, nós decidimos, junto à equipe da Diretoria de Comunicação, fazer a proposta para a realização de entrevistas com os candidatos. Foi uma proposta muito bem recebida pelos representantes da chapa”, destacou o jornalista Edwin Jinkings, diretor de Comunicação da Alema.

Adriano Araújo, representante do candidato Mozart Baldez, da Chapa 1, parabenizou a Diretoria de Comunicação pela iniciativa. “É importante esse espaço que está sendo oportunizado pela Assembleia, por meio do seu departamento de Comunicação, de trazer as propostas que são aventadas por todos os candidatos, não somente para os advogados, mas também para toda a população maranhense, tendo em vista o que essa instituição representa e traz um leque de serviços para a população maranhense”, afirmou.

“Quero parabenizar a Diretoria de Comunicação da Assembleia por essa iniciativa, porque é muito importante que a população se aproxime desse debate, para que ela comece a voltar os seus olhos a uma entidade tão importante, que tem um papel singular para a sociedade maranhense. Teremos o maior prazer de estarmos presentes”, completou Wal Oliveira, representante do candidato Carlos Brissac, da Chapa 2.

======================================================   COMENTÁRIO