O clã Sarney tenta a todo custo emplacar em seus veículos de comunicação a monocrática decisão de juíza de Coroatá decretando a inelegibilidade do governador Flávio Dino. Mas vai ser difícil convencer os maranhenses de que isso não passa de mais um estratagema do grupo liderado pelo oligarca José Sarney para conturbar o processo eleitoral deste ano.

Uma prova disso é que os perfis do jornal O Estado do Maranhão e do Imirante nas redes sociais foram bombardeados com comentários negativos de internautas que não acreditam na validade da sentença.

Para muitos usuários, a manobra não passa de “tapetão” e “jogo sujo” da família Sarney para tentar dar fôlego a Roseana Sarney (PMDB), que tenta quinto mandato como governadora, apesar da colossal rejeição ao seu grupo político. “Gente, que mentira… Imirante vocês estão ridículos”, disse o internauta Marcelo Cássio.

Desespero

Para a grande maioria dos internautas, essa estratégia do grupo Sarney não vai pegar e não passa de mais uma manifestação de “desespero” do grupo.

“Começaram a apelar. O jornaleco sem credibilidade, junto com seus donos, a velha corja política do Maranhão chamada família Sarney. Querem apelar para o ‘tapetão’ mais uma vez, mas dessa vez não vai colar”, avalia Ismayle Alves, em referência ao golpe político-judicial orquestrado por José Sarney que culminou com a cassação do ex-governador Jackson Lago (PDT) em 2009.

“Coroará, covil dos Murad”

Outros usuários lembraram a possível associação entre a magistrada de Coroatá que proferiu a decisão e o ex-secretário Ricardo Murad, político conhecido como ‘ex-todo poderoso’ em terras coroataenses.

“Ridículo! Um decisão proferida por um juízo de primeiro grau, abre aspas: da cidade de Coroatá, terra de uma família que mandou e desmandou por décadas”, contestou Kelson Muniz. Já Antônio Ewerton chamou Coroatá de “covil dos Murad”.

Veja a reação de outros internautas que não engoliram as publicações sobre o caso: