27
ago
2020

Ministro de Bolsonaro tenta capitalizar obra de Flávio Dino e Dilma e toma invertida de Márcio Jerry

Ministro de Bolsonaro tenta capitalizar obra de Flávio Dino e Dilma e toma invertida de Márcio Jerry

O deputado federal Márcio Jerry (PCdoB-MA) criticou o oportunismo de Rogério Marinho, ministro do Desenvolvimento Regional, que esteve em São Luís nesta quinta-feira (27) para visitar o Residencial José Chagas, como se as obras fossem uma conquista do governo Bolsonaro. Os apartamentos foram inaugurados no início do mês pelo governador Flávio Dino (PCdoB), a partir de recursos oriundos do programa ‘Minha Casa, Minha Vida’, em parceria com a então presidenta Dilma Rousseff (PT).

“Essa viagem proporcionou cenas de oportunismo explícito do ministro Rogério Marinho, que quis colar placa de Bolsonaro em obra realizada com recursos do ‘Minha Casa, Minha Vida’ assegurados pela ex-presidenta Dilma e executada pelo governador Flávio Dino. Que coisa feia”, disse o deputado.

A viagem de Rogério Marinho segue o “ritmo de campanha” adotado por Jair Bolsonaro nas últimas semanas. Editorial do jornal O Estado de S. Paulo publicado no início de agosto alertou para a nova estratégia do presidente, que está tentando “capitalizar medidas aprovadas pelo Congresso, muitas das quais foi contra, e obras iniciadas em gestões do PT”.

O jornal afirma ainda que “embora o foco seja o Nordeste, tradicional reduto eleitoral petista e pelo qual [Bolsonaro] quer avançar já com vistas à reeleição, a meta é passar por diversos Estados”.

Um dos principais opositores ao bolsonarismo, o governador Flávio Dino disse ao jornal Folha de S. Paulo que as visitas do atual presidente ao Nordeste têm como objetivo “recuperar a popularidade perdida no Sudeste.”

“Nitidamente, ele está querendo compensar no Nordeste o que perdeu no Sudeste. Penso, contudo, que só conseguiria isso se fizesse mais do que simplesmente inaugurar obras dos governos Lula e Dilma. [Bolsonaro não apresenta] nenhum programa novo. Ele só está visitando obras alheias e mudando nome de programas já existentes”, afirmou o governador do Maranhão.

Na visita ao residencial José Chagas, o ministro Rogério Marinho levou a tiracolo o senador Roberto Rocha (PSDB) e os deputados Edilázio Júnior (PSD) e Hildo Rocha (MDB), três opositores de Flávio Dino que não tiveram nenhuma relação com a obra inaugurada pelo governador com apoio da gestão petista.

1 Comentário

  1. Daniel disse:

    Pode até ser que teve início no governo da ORCRIM chamada PT, por meio da jumenta da Dilma. Até ai concordo. Entretanto, provavelmente a obra devia estar paralisada por falta de recursos(não sei e isso que faltou constar na reportagem) e ai o atual governo federal resolveu continuar de onde parou e concluir a obra.
    Se tiver sido assim, não vejo problema algum em dar uma placa ao atual governo, mas é claro: não esquecendo de citar os governos anteriores. Questão de justiça!
    Ai me vem um BOÇAL, IMBECIL, IGNORANTE, ESTÚPIDO, BURRO e….CORRUPTO do tal de Marcio “rato” Jerry abrir a “latrina” da sua boca e despejar “m…a” por ai. Não vi nada de invertida praticada.
    O BOÇAL é tão LUNÁTICO e SEM NOÇÃO que vem aduzir que o ministro dele está em rítimo de campanha. Pode até ser, mas por causa disso ele não poderá, como Chefe do Poder Executivo e seus auxiliares acompanhar os demais estados do Norte e Nordeste simplesmente porque não tem uma alta popularidade? E mais: que os nordestinos preferem o PT, Lula, Dilma e o escambau ao invés de Bolsonaro? Quanta idiotice.
    A ORCRIM chamada PT está em seus últimos suspiros na UTI e logo logo(se Deus quiser) irá desaparecer e ficar no passado, juntamente com esses asseclas, tipo um Marcio “rato” Jerry da vida.

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo