08
ago
2019

Médicos fecham contratos com prefeituras e repassam plantões a falsos profissionais

falso médico Keury Pereira Queiroz, de 28 anos,

Caso de Keury Queiroz é apenas um, entre as dezenas que acontecem no Maranhão…

O caso do falso médico Keury Pereira Queiroz, de 28 anos, preso esta semana sob acusação de estar exercendo função de médico de forma ilegal e ainda usar falsa identidade no Hospital Municipal de Itaipava do Grajaú, levantou a suspeita de outros casos no Maranhão.

As denúncias apontam para médicos que estariam fechando contratos com prefeituras do interior do Maranhão e repassando plantões a pessoas não médicas, estudantes de medicina ou pessoas formadas no exterior não habilitadas a atuar no Brasil.

O repasse seria feito por um valor abaixo do que os médicos recebem pelas prefeituras.

No caso de Keury, ele afirmou à Polícia ser formado em medicina na Bolívia, mas não passou pelo Revalida e não possui registro no Conselho Regional de Medicina (CRM).

Ele pagou fiança no valor de oito salários mínimos e vai responder em liberdade.

Importante o Ministério Público e a Polícia Civil do Maranhão iniciarem uma investigação minuciosa no sentido de apurar a participação de médicos e servidores da área da saúde em esquemas de repasse de plantões em prefeituras maranhenses.

– Caso Suesley 

Falso Médico Suesley Carlos Marques, de 33 anos.

Caso Suesley Marques aconteceu em 2013, e teve desdobramentos em 2019…

No início do mês de julho, um caso semelhante ocorreu também no interior do Maranhão.

A polícia prendeu na cidade de Santa Inês, Suesley Carlos Marques, de 33 anos, natural de Santa Maria da Vitória – BA, cumprimento ao mandado de prisão após sentença condenatória, expedido pela 1ª Vara da Justiça Federal de Imperatriz, processo decorrente do ano de 2014.

Na época, 19 de dezembro de 2013, o falso médico foi preso pela Polícia Rodoviária Federal quando vinha de um plantão na cidade de Sítio Novo – MA, suspeito de exercer ilegalmente a medicina com nome falso de Thiago Alves Rodrigues. 

Com Suesley foram encontrados um veículo também com documentos falsos, um receituário de um paciente, além de medicamentos e um carimbo.

Desde então, ele respondia o processo de autoria do Ministério Público Federal em liberdade, até que quase seis anos após a prisão – dada a tramitação na justica – veio a decisão do juiz substituto Claudio Cezar Cavalcante.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo