24
jun
2016

“Locupletou-se do erário e desviou recursos”, justifica delegado sobre a prisão de Curió

Curió e Ângela foram levados para o Centro de Triagem no complexo penitenciário de Pedrinhas. A prisão do casal foi decretada provisoriamente por cinco dias prorrogáveis pelo mesmo período, e pode ser transformada em preventiva.

13523945_1090938157653019_1150687639_o

Prefeito foi levado para o centro de Triagem do Complexo Penitenciário de Pedinhas.

Durante coletiva de imprensa realizada na tarde desta sexta-feira (24) para detalhar a prisão do ex-prefeito de Turilândia, Domingos Sávio Fonseca Silva, o Curió, e sua esposa, Ângela Maria Everton, o secretário de Segurança Pública Jerfessor Portela, esclareceu que a ação é resultante da análise do montante de documentos apreendidos pela polícia no dia 13 de junho de 2012, durante cumprimento de um mandado e busca e apreensão na casa de agiota Glaucio Alencar e seu pai José Alencar de Miranda.

Naquela ocasião foram recolhidos cadernos de anotações, autorização para saques e cheques, muitos deles assinados em branco.

O delegado Geral de Polícia Civil do Maranhão, Lawrence Pereira, também participou da coletiva, ele explicou que as prisões fazem parte do desdobramento da Operação Detonando. “O ex-prefeito Curió e sua esposa locupletaram-se do erário e desviaram recursos para interesses particulares”, diz delegado sobre o casal preso. 

13499542_1090938294319672_1045970211_o

Prefeito Curió foi preso em São Luís.

O Chefe do Primeiro Departamento de Combate à Corrupção, delegado Leonardo Bastian Fagundes, que comandou essa fase da operação, explicou que as duas residências do casal Curió foram vasculhadas simultâneas, tanto na Avenida Principal no centro de Turilândia, quanto em São Luís, na casa localizada na rua Plutão, bairro do Recanto do Vinhais.

Ainda de acordo com o delegado, durante o cumprimento de busca e apreensões desta manhã, foram apreendidos diversos documentos que serão analisados pela equipe de investigação da Seccor. “A justiça autorizou a quebra de sigilo bancário do ex-prefeito pedido pelo Ministério Público, entretanto, essas informações ainda não chegaram à política”, disse Leonardo.

Relação com os filhos

A polícia ainda não sabe o volume de recursos desviados, pois muitos dos cheques apreendidos estão assinados sem o valor. A Seccor também investiga a relação dos desvios de recursos com a prefeitura de Nunes Freire, administrada pelo prefeito Marcel Curió – filho do casal preso. E ainda se esse dinheiro desviado estar sendo aplicado na pré-campanha a prefeito de outro filho, Paulo Curió, em Turilândia.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade