23
jun
2017

Joao Alberto e Sarney Filho viram noticia negativa a nível nacional

Senador João Alberto Souza, presidente do Conselho de Ética do Senado, justificou que faltou provas contra Aécio…

Dos membros do alto escalão do grupo político da família Sarney tornaram-se nas últimas horas, de forma negativa, notícia a nível nacional.

Primeiro foi o senador João Alberto, do PMDB, presidente do Conselho de Ética e Decoro Parlamentar do Senado, que arquivou nesta sexta-feira (23) o pedido que tramitava no colegiado pedindo a cassação do mandato do senador mineiro Aécio Neves (PSDB).

Parecendo debochar dos brasileiros, João Alberto justificou o arquivamento afirmando ausência de provas: “Indeferi por falta de provas”, disse. 

O senador pelo Maranhão se faz esquecer que Aécio foi flagrado em uma das fases da Operação Lava-Jato acusado pela Procuradoria Geral da República de receber propina, no valor de R$ 2 milhões, do empresário Joesley Batista, do grupo JBS. Inclusive,  o tucano está afastado das atividades parlamentares desde o mês passado por determinação do Supremo Tribunal Federal (STF).

– Incompetência de Sarney Filho faz Brasil perde R$ 200 milhões

Os ministros do Meio Ambiente do Brasil e Noruega, Sarney Filho e Vidar Helgesen.

O segundo integrante do clã-sarney a ganhar notoridade a nível nacional de forma negativa foi o Ministro Sarney Filho, deputado licenciado pelo PV.

É que em plena viagem oficial do presidente Michel Temer (PMDB) para Oslo, o governo da Noruega anuncia o corte de pelo menos 50% no valor enviado para o Brasil em projetos de combate ao desmatamento. O anúncio foi feito nesta quinta-feira, 22, em uma reunião entre as autoridades e o ministro.

A Noruega é o maior doador ao Fundo da Amazônia e já destinou ao Brasil US$ 1,1 bilhão. Mas, para 2017, a liberação de recursos foi reexaminada. Em uma carta enviada pelos noruegueses ao governo brasileiro, o alerta já estava claro de que o dinheiro poderia secar diante das falhas do Brasil em suas políticas ambientais.

Questionado se poderia garantir que a taxa de desmatamento seria reduzida para o futuro, Sarney Filho disse que “apenas Deus poderia garantir isso”. O ministro brasileiro ainda tentou culpar o governo de Dilma Rousseff (PT) pelo desmatamento.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo