20131024_123956

Placa na Reserva Ecológica Sítio do Rangedor no bairro do Cohafuma, confirma que Governo do Estado não respeita as leis ambientais

A placa na foto ao lado, com a logomarca do governo do estado é mais um carimbo de crime ambiental cometido pelo Governo Roseana Sarney.

Depois da construção do prédio da Assembleia Legislativa na área de reserva criada pelo próprio Estado para ser preservada, agora o governo cedeu mais uma pedaço do terreno  para construção da sede do Instituto de Metrologia e Qualidade Industrial   do Maranhão – INMEQ-MA.

Com aval da Secretaria de Meio Ambiente, incluindo uma lei aprovada pelos deputados da ré-inquilina, Assembleia Legislativa, sacramentando um crime ambiental.

Até o final do Governo Roseana Sarney(PMDB) não restará nada da Reserva Ecológica Sítio do Rangedor no bairro do Cohafuma.

A Estação Ecológica do Sítio Rangedor é uma UC – Unidade de Conservação que tem como objetivo a preservação da natureza e a realização de pesquisas científicas. É proibida a visitação pública, exceto com objetivo educacional e a pesquisa científica depende de autorização prévia do órgão responsável. Criada pelo Decreto Estadual N 21.797 de 15 de dezembro de 2005, apresenta fitofisionomia de 100% de Formações Pioneiras, inserida no município de São Luis, MA.

O projeto de construção irregular do Inmeq vai  ser erguido em uma área de 4.485 metros quadrados. O terreno foi doado pelo Governo do Estado e a construção será feita com recursos da instituição. A obra está orçada em R$ 2,5 milhões.

Da área de 121 hectares o governo já ocupou com a construção do Multicenter Sebrae, Centro de Convenções Pedro Neiva de Santana, Assembleia Legislativa e agora a sede do Inmeq.  (Com alterações do Blog do Varão e Ricardo Santos)

One Response so far.

  1. Ribamar disse:

    Domingos
    Acertou mais uma vez. O Secretario não sei o nome do meio Ambiente, simplesmente herdou a Secrtaria somente para fazer politica. Não sabe nada de meio Ambiente. Tudo que faz é copiado dos programas do IBAMA.Um veradeira lástima.
    Um abraço