10
abr
2019

Ex-adjunta de Núbia mentiu na ‘cara’ da Promotora Gabriela Brandão; confira o depoimento

Myrlla Gomes disse que contratou um caminhão de frete em um posto de combustível, entretanto, foi desmascarada pelo MP, que provou o recebimento dos produtos por uma L200 Triton.

Myrlla mentiu durante depoimento na ‘cara’ do MP…

Pivô de mais um escândalo envolvendo dinheiro público em Paço do Lumiar, a ex-secretária adjunta de Administração e Finanças do município, Myrlla Cunha Gomes (foto), mentiu quando ficou “cara a cara” com a Promotora de Justiça de Paço do Lumiar, Gabriela Brandão da Costa Tavernard.

Na ocasião, último dia 13 de fevereiro de 2019, a ex-funcionária da prefeitura prestou depoimento no bojo do Inquérito Civil nº 17/2018 que trata da compra irregular de um cofre elétrico digital, um forno elétrico e duas televisões de 60 polegadas da categoria smart led.

De acordo com Myrlla, de fato ela esteve no “Centro Elétrico” do Tirirical, no dia da compra, 16 de junho de 2018, no entanto, a ex-adjunta contou que a nota fiscal em nome da prefeitura de Paço do Lumiar foi emitida de forma errônea. Na verdade, segundo a ex-funcionária de Núbia e Dutra, a compra foi pessoal com pagamento à vista no valor de R$ 13.472,64.

– Mentira sobre caminhão

Myrlla, ainda conta no depoimento que não recebeu esses produtos [cofre, forno, tv’s] no momento da compra. Segundo a ex-adjunta, ela contratou um caminhão que fazia frete nas mediações de um posto de combustível que fica na via que dá acesso ao aeroporto de São Luís/MA.

Ela sustentou à Promotora que não sabia dizer o nome do condutor do caminhão, apenas que forneceu a esse motorista um documento de compra dos produtos, para que pudesse recebê-los.

Acontece que a Promotora de Justiça Gabriela Brandão, decidiu então, ouvir os funcionários da empresa Centro Elétrico – João de Oliveira Rocha (setor logística) e César Gonçalves Porto (setor de expedição), e eles confirmaram que anotaram a placa do veículo que foi buscar o material, correspondente a PTC-4781.

Foi nesse exato momento do Inquérito Civil nº 17/2018, portanto, que surgiram as mentiras de Myrlla Cunha Gomes.

O Ministério Público consultou junto ao sistema SINESP/INFOSEG identificando que o veículo de placa PTC-4781 pertence ao Município de Paço do Lumiar, notadamente ao “Fundo Municipal de Assistência Social”, tratando-se de uma caminhonete, cor branca, modelo L200 Triton SPT GL, ano 2018.

Logo, verifica-se que os bens adquiridos em nome do município foram igualmente transportados em um veículo pertencente a prefeitura, o que afasta os argumentos sustentados por Myrlla, segundo os quais se trataria de uma compra pessoal, com inserção de dados incorretos na nota fiscal.

Na Ação Civil Pública que resultou o Inquerito, a Promotora Gabriela Brandão pede a condenação do prefeito Dutra e da ex-adjunta Myrlla ao dano moral difuso no valor de R$ 50 mil reais.

LEIA TAMBÉM:

– MP denuncia prefeito Dutra por compra de cofre digital, forno elétrico e tv’s smart

– ABAIXO A INTEGRA DO DEPOIMENTO:

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo