11
maio
2015

Em breve mais uma operação que investiga agiotagem

Desde a morte do do jornalista e blogueiro Décio Sá uma Comissão formada por delegados e promotores trabalham numa investigação interminável  sobre o esquema de agiotagem em prefeituras do Maranhão, iniciada após o assassinato do jornalista Décio Sá.

Comissão de investigação

O presidente da comissão de investigação de agiotagem, delegado Roberto Fortes, declarou recentemente que o trabalho apenas começou e destacou o apoio irrestrito do secretário de Segurança Pública nas investigações. “Vamos continuar com o nosso serviço. Há muito o que fazer. Quanto mais se investiga mais corrupção se descobre”, afirmou.

Para o promotor de Justiça Marco Aurélio Rodrigues, essas ações são fundamentais para melhorar a qualidade de vida da população maranhense. “Não estamos agindo de forma isolada. A parceria com a Polícia Civil é fundamental. Toda investigação está sendo acompanhada pelo judiciário. Vamos analisar documentos, cheques; checar a lavagem de dinheiro e o enriquecimento ilícito. Será dada continuidade aos trabalhos de investigação” pontuou.

“Operação Detonando”

Em junho de 2012, foi deflagrada a primeira ação da polícia civil, batizada de “Operação Detonando”, resultou na prisão de pessoas envolvidas na morte do jornalista e blogueiro Décio Sá. A polícia prendeu os empresários Gláucio Alencar e José Miranda, pai e filho. Na época, a polícia descobriu que o que motivou o assassinato foi uma postagem, no “Blog do Décio”, referente à morte do agiota Fábio Brasil, no Piauí.

“Operação Imperador”

Quando parecia que tinha ficado no esquecimento, as investigações sobre a rede de agiotagem no Maranhão foram reabertas e resultaram em duas prisões, nove mandados de condução coercitiva e 38 mandados de busca e apreensão no Estado. Denominada de ‘Operação Imperador’, a ação resultou na prisão da ex-prefeita de Dom Pedro, Arlene Barros Costa, acusada de envolvimento na prática de agiotagem e licitações fraudulentas, que culminaram no desvio de mais de R$5 milhões dos cofres públicos. “Operação Imperador” foi um desdobramento da “Operação Detonando”.

“Morta Viva” e “Marajá”

E na última terça-feira (05) a Superintendência de Investigações Criminais (SEIC) e o Grupo de Combate do Ministério Público do Maranhão (GAECO), deflagraram mais uma operação que prendeu políticos e empresário envolvidos em esquemas de agiotagem. Foram presos desta vez o prefeito de Marajá do Sena e da Cidade de Bacuri, além do agiota Josival Cavalcanti da Silva, o Pacovan. Também foi preso o x-prefeito de Zé Doca, Raimundo Nonato, conhecido na região como Natin. Ao todo, a deflagração culminou no cumprimento de seis mandados de prisão temporária, 14 de condução coercitiva e 51 mandados de busca, apreensão e sequestro de bens, em cinco municípios do Estado.

E não demora para a deflagração de mais uma etapa da operação…

Aguardem…

3 Comentários

  1. Mauro Costa disse:

    Essa galera precisa devolver o dinheiro que não é seu e sim do povo. Atenção, Coelho Neto pode esperar a tua hora vai chegar

  2. blank Rogerio disse:

    Esperamos ansiosos pela apuração de todas as falcatruas perpetradas por esses maus políticos, com os recursos destinados a melhoria da qualidade de vida da população dos municípios. Parabéns a Comissão de Investigação. Vamos aguardar os resultados.

  3. blank Rogerio disse:

    Existe um esquema de contratação de “Bandas Caras”, para desvios de recursos. É bom verificar também.

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo