17
dez
2014

Durante audiência, vítimas reafirmam que Diego Polary matou advogado Brunno Matos

polary

Diego Polary é apontado como autor do assassinado.

Aconteceu nesta quarta-feira, 17/12 a primeira audiência de instrução e julgamento do processo que investiga o assassinato do advogado Brunno Eduardo Matos Soares e da tentativa de homicídio contra Alexandre Matos Soares e Kelvin Chiang e Wesley Carvalho de Oliveira.

A audiência ocorreu na Segunda Vara do Tribunal Júri, no primeiro andar do Fórum Desembargador Sarney Costa, presidida pelo juiz Gilberto de Moura Lima, tendo como responsável pela acusação o promotor de Justiça Agamenom Batista de Almeida Junior.

Os acusados pelo inquérito que investiga o caso, Carlos Humberto Marão Filho e o vigilante João José Nascimento Gomes foram ouvidos na audiência, além de Diego Polary, que é apontado como autor do assassinado.

Vinte e nove testemunhas foram ouvidas pela justiça, pelo Ministério Público, para ajudar no esclarecimento do caso. Diversas pessoas foram ouvidas entre vítimas, acusados e testemunhas. Primeiro foram ouvidas as vítimas, depois as testemunhas e por últimos os acusados.

Audiência acontece no Fórum Desembargador Sarney Costa. Advogado Brunno Matos foi morto a facadas no dia 6 de outubro.

Audiência aconteceu no Fórum Desembargador Sarney Costa.

Todas as vítimas e testemunhas de acusação reafirmaram que Diego Polary foi o autor das facadas que resultaram na morte do advogado Brunno Eduardo Matos Soares.

Versão do Vigia –  João José Nascimento negou a autoria das facadas e só assumiu a culpa por ter sido ameaçado por Carlos Marão, Segundo o vigia relatou, Marão teria dito que se ele não a culpa iria “ferrar com a vida dele”. João também explicou que no dia do crime ele estava fazendo rondas pela rua de bicicleta e durante a briga estava procurando a cadela, que pertence a Carlos Marão. Ao transitar nas proximidades onde estava ocorrendo a briga a sua faca teria caído do bolso da calça.

Vigia, Polary e Marão

Vigia João José, Polary e Marão

Versão de Diego Polary – O acusado manteve a versão de que estava em sua casa dormindo durante a confusão que resultou na morte de Brunno Matos. Contudo, toda as vítimas, o reconheceram e afirmaram que ele teve participação no caso. Diego Polary negou todas as vezes que foi questionado sobre a autoria do assassinato.O réu também alegou que não se encontrava no local do crime e que estava dormindo em outra casa, longe do local onde tudo aconteceu.

Versão de Carlos Marão – O terceiro e último réu ouvido foi Carlos Marão, que é tio de Diego Polary. Ele também negou ter sido autor das facadas e disse que ter certeza de que o responsável pela morte do advogado foi o vigia João Gomes. Marão também afirmou inúmeras vezes durante o depoimento, que o sobrinho não teve qualquer participação na confusão. Porém, a afirmação vai de contraria o seu primeiro depoimento dado à polícia, onde afirma ter recebido ajuda de Diego da hora da briga.

Alexandre Matos Soares e Kelvin Chiang e Wesley Carvalho de Oliveira.

Vítimas: Alexandre Matos Soares e Kelvin Chiang e Wesley Carvalho de Oliveira.

A partir agora, o juiz irá divulgar o prazo permitido para as alegações finais e oficializará a data para a próxima audiência. Apesar de tudo caminhando para uma decisão através de júri popular, os acusados poderão recorrer ao Tribunal de Justiça para tentar anular essa decisão.

Vamos aguardar o resultado desse trágico episódio.

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo