Ações de Duarte Júnior ganharam destaque na imprensa, e motivou inveja do advogado Thiago Brhanner…

Inveja é o desejo de possuir um bem que pertence ao outro. É um sentimento de inferioridade e de desgosto diante da felicidade do outro. É um sentimento de cobiça, do brilho e da prosperidade alheia.

A definição acima emprega-se perfeitamente nas motivações “juridicas” e “pessoais” do advogado Thiago Brhanner Garcês Costa contra o presidente do Procon e do Viva Cidadão, Duarte Júnior. 

De forma obsessiva, Brhanner tem por seguidas vezes acionado judicialmente o competente Duarte – cotado para ser um dos candidatos a deputados estaduais mais votados da Ilha de São Luís nas eleições de outubro próximo.

A ideia de Thiago, motivado pela inveja, é apenas desgastar um dos mais eficientes e destacados auxiliares do governador Flávio Dino.

Primeiro, Brhanner protocolou na Justiça, ainda em junho de 2017, uma ação popular para que a Justiça obrigasse o Procon a realizar concurso público. Mas, detalhe, o concurso já estava programado pelo Governo do Estado.

Thiago Brhanner, obsessão por Duarte em forma de inveja…

Agora, acredite, Thiago Brhanner ingressou de novo junto a Vara de Interesses Difusos e Coletivos de São Luís com uma ação popular solicitando que a Justiça puna Duarte pelo simples fato do presidente do Procon aparecer na capa da Revista Deluxe, edição de dezembro de 2017 – comemorativa dos 10 anos.

Para Brhanner, a reportagem da Revista apresenta teor claro de auto promoção do pré-candidato.

Ora, o conteúdo da reportagem, bem como o leiaut, são de responsabilidade da revista, no caso, da empresária e blogueira Guga Fernandes, dona da Deluxe. Logo, cabe a Duarte Júnior apenas conceder a entrevista após o convite.

Portanto, o chilique do advogado, como já disse, não passa de autêntica inveja!

2 Responses so far.

  1. Prates disse:

    Publicação paga, só leigos que não sabem disso!

  2. Edson disse:

    Os mitos são uma ciência, sua construção e seu alcance sempre são populares, tem-se que tomar cuidado ao lidar com eles. Infelizmente vivemos numa sociedade em que dever a cumprir se confunde com heroísmo.


Página 1 de 11