07
mar
2021

Dona de Agência conta detalhes do calote que levou de Neto Evangelista nas eleições 2020, em São Luís

 

Neto Evangelista, até agora, não se pronunciou a respeito do calote a prestadora de serviço de sua campanha a prefeito de São Luís...

Neto Evangelista, até agora, não se pronunciou a respeito do calote a prestadora de serviço de sua campanha a prefeito de SL.

Ao Blog do Domingos Costa, a empresária de iniciais S.A dona da ‘Dados e Ideias Pesquisa, Produção de Conteúdo e Comunicação’, contou em ordem cronológica como se deu o calote por parte do então candidato a prefeito por São Luís Neto Evangelista (DEM), atual deputado estadual.

A dona da agência de publicidade que também é jornalista reclama do não pagamento de uma nota de prestação de serviço de R$ 20.250,00 (vinte mil duzentos e cinquenta reais). E alega que irá acionar o deputado judicialmente para receber pelo que trabalhou.

Sediada no estado de São Paulo, a ‘Dados e Ideias’ diz que o candidato do DEM na capital maranhense, a contratou para montar o banco de dados da campanha (pesquisa de informações e produção de conteúdo), auxiliar nos preparativos para os debates e entrevistas (formular sugestões de pergunta e resposta) e, além disso, ajudar na elaboração do programa de governo.

– CONFIRA ABAIXO A VERSÃO DA DONA DA AGÊNCIA:

Entre 01/02/2020 e 30/06/2020, trabalhei na pré-campanha do candidato a prefeito Neto Evangelista, por meio de uma agência de Salvador (sendo os três primeiros meses em São Luís e os dois últimos em São Paulo, remotamente). Não tive problemas com o pagamento.

Contratação para campanha

Em 15/09/2020, após vários dias de negociação, fechei com Francisco Oliveira Junior (primo do candidato e suposto “coordenador” de sua campanha) o valor de R$ 60 mil, até o final da campanha, tendo 2º turno ou não (neste caso, até 30/11/2020), fora as despesas com passagens aéreas (São Paulo/São Luís/São Paulo) e hospedagem (às custas do cliente). Ver print conversa com Francisco 5

Por conta disso, marquei minha passagem de volta e checkout no apartamento que aluguei (e que paguei antecipadamente, sendo ressarcida depois) para 30/11/2020, um dia depois da realização do 2º turno das eleições (que acabou não se concretizando, uma vez que o candidato não chegou ao segundo turno).

Início dos trabalhos

A partir dessa data (15/09/2020), comecei a trabalhar, inicialmente em São Paulo (até dia 27/09) e depois em São Luís, até o final do 1º turno.

Acerto do pagamento

Assim que cheguei em São Luís, me reuni com Francisco Jr, para tratar do pagamento (no diretório municipal do Democratas). Ficou então acertado que eu emitiria 3 notas, com pagamento mensal (outubro, novembro e dezembro); no caso da hospedagem/passagens aéreas, que eu paguei antecipadamente, ficou combinado que ele me avisaria posteriormente sobre o reembolso.

Pagamento

As duas primeiras notas, assim como a maior parte do reembolso de hospedagem/passagens aéreas), foram pagas em outubro e novembro, conforme o combinado.

Mas a terceira nota, emitida em 02/12/2020 (que incluiu os R$ 20 mil dos serviços mais R$ 250 de um resíduo da hospedagem), no valor de R$ 20.250, até hoje não foi paga.

Francisco Júnior, primo de Neto Evangelista, também ignorou o débito da última nota de prestação de serviço à campanha.

Francisco Júnior, primo de Neto Evangelista, também ignorou o débito da última nota de prestação de serviço à campanha.

Ressalte-se que, a respeito da terceira e última nota, enviei várias mensagens para Francisco Jr, sendo que a primeira foi no dia 22/11/2020, na qual eu perguntava como deveria proceder sobre a emissão. Ele só me retornou no dia 25/11/2020, quando telefonou para propor que eu deixasse tudo por isso mesmo (!!!) e dizer que eu deveria tratar do assunto com Neto Evangelista e Juscelino Filho (presidente do DEM estadual).

Como não obtive mais retorno, pedi a meu contador que emitisse a última nota e, ainda no dia 02/12/2020, enviei para Francisco Jr, que não deu mais retorno.

Batalha para receber (ou pelo menos ter um retorno)

Nas semanas seguintes, enviei várias mensagens a Francisco Jr e ao próprio Neto Evangelista, perguntando sobre o pagamento e relatando minhas dificuldades financeiras por conta desse “atraso”, e nada. No dia 10/12, indignada com a situação, enviei uma mensagem a Neto Evangelista dizendo que já estava “incorporando” o calote (em tom de ironia, naturalmente), que iria “doar” o valor à campanha e que Francisco Jr (a quem compartilhei a mensagem) provavelmente saberia o que fazer com a nota. Neto Evangelista não respondeu, mas Francisco Jr sim, dizendo (como se eu não soubesse) que empresas não podem doar para campanhas e que eu deveria “cancelar” a nota. Limitei-me a dizer “sem chance de cancelar a nota”.

Irregularidade na prestação de contas

Como o pagamento não foi feito, decidi esperar até o dia 15/12/2020, prazo final para a prestação de contas da campanha, para ver se eles declarariam ou não as despesas com os serviços referentes à terceira e última nota (que, aliás, está disponível no campo “notas eletrônicas” da prestação de contas).

Em situações como essa, de dívida de campanha, o partido negocia com o credor e, mediante a concordância deste, assina um termo de “assunção de dívida”, com prazo e condições de pagamento. Se não fizer isso, a prestação de contas do candidato pode ser considerada irregular e, em última instância, não ser aprovada pela Justiça Eleitoral.

Sabendo disso, no dia 16/12/2020, denunciei o caso ao Ministério Público Eleitoral (PR-MA-00038733/2020).

Um dia depois, enviei mensagem ao advogado da campanha, ThiberioCordeiro, alertando-o sobre a irregularidade, mas tampouco ele me deu retorno.

Pagamento do imposto sobre a nota

Mesmo não tendo recebido, em 21/01/2021 paguei o imposto correspondente sobre a nota emitida em dezembro, no valor de R$ 1.273,95.

Clique AQUI e confira a nota não paga que causou toda essa celeuma envolvendo Neto Evangelista.


LEIA TAMBÉM:

Empresa que preparava Neto Evangelista para os debates eleitorais e entrevistas na eleição 2020 reclama de calote

Candidato a prefeito de São Luís que não foi para o segundo turno dá calote em empresa de São Paulo

1 Comentário

  1. Emanuel de Jesus Pinheiro disse:

    A empresária de iniciais S.A dona da ‘Dados e Ideias Pesquisa, Produção de Conteúdo e Comunicação’, esses moços não pagam ninguém em vida !!
    Essa atitude é genética, basta ir ao Zé Doca e perguntar para qualquer menino!!
    Veja as fotos do enterro do velho pai, é tanto cobrador !!

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade