Documento da Jucema contraria versão de delegado da Polícia Federal : Blog do Domingos Costa                                                                                                                                                                                                                     





A alteração contratual se deu em 4 de outubro de 2013, registrada no Cartório de 1° Ofício de Paço do Lumiar. A empresa passa se chamar Ágora Empreendimentos Educacionais Ltda. Desde então, a empresa já não era sorveteria.

A saúde do Maranhão não teve sorveteria como prestadora de serviços hospitalares, pelo menos, a partir de janeiro de 2015. A razão é simples: desde 4 de outubro de 2013 a empresa CCO Indústria de Sorvetes Ltda., criada em 2010, deixou de existir. Documentos do contrato social de constituição da empresa registrados na Junta Comercial do Maranhão (Jucema), desmentem a versão dada pelo delegado da Polícia Federal, Wedson Cajé Lopes, que comanda a operação “Pegadores”.

Segundo a investigação da PF, a empresa CCO Indústria de Sorvetes Ltda., teria prestado serviços à Secretaria de Estado da Saúde até fevereiro de 2015. A cláusula 4ª do contrato social, registrada em outubro de 2013 na Jucema, altera a denominação social para Ágora Empreendimentos Educacionais Ltda. O objeto social, segundo a cláusula 5ª alterou-se para treinamento em desenvolvimento profissional e gerencia; educação profissional de nível técnico (consultoria).

A empresa voltou a alterar o contrato social em 2015, quando passou a ser denominada ORC Gestão e Serviços Médicos Hospitalares Ltda-ME. A cláusula 3ª do contrato define como objeto social para atividades de atendimento hospitalar exceto pronto socorro e unidades de atendimento de urgências. Os documentos registrados na Jucema mostram que a Polícia Federal errou ao afirmar que uma sorveteria prestou serviços hospitalares para a Secretaria de Saúde do Maranhão.

One Response so far.

  1. Sim!!!!!! E o que essa explicação tem a dizer????? Absolutamente nada. A PF mentiu em algum subsídio? Acredita-se que não. Essa informação da matéria deste blog, só apenas confirma que a PF está certa, pois o fator sorvete informa de que essa empresa tinha tudo de comercialização no mercado do sorvete. É simples assim.


Página 1 de 11