20
maio
2015

Destino político de Humberto de Campos na caneta de Guerreiro Junior

Acusado de desviar recursos que deveriam ser aplicado para melhoria da qualidade de vida dos humbertuense, prefeito Deco por duas vezes  foi afastado do cargo, mas alega que irá retornar.

15082014_1201

Cabe ao Des. Guerreiro Junior manter o Prefeito afasto por corrupção fora do cargo em Humberto de Campos.

Nesta quarta-feira 20/05, advogados do prefeito afastado de Humberto de Campos, Raimundo Nonato dos Santos, o Deco(PMN) deram entrada em um Agravo Regimental nº 0228272015, no qual pretendem retornar seu cliente ao cargo.

O processo está no gabinete do Desembargador Relator Antonio Pacheco Guerreiro Junior, que pode definir se o gestor afastado da Prefeitura por comprovação de fraudes com recursos, continua longe do executivo municipal.

A Segunda Câmara Civil do Tribunal de Justiça do Maranhão, através do próprio Desembargador Guerreiro Junior em duas ocasiões julgou contra Deco. Na primeira, pela manutenção do bloqueio dos bens do prefeito, e na segunda, manteve o afastamento formulado pelo Promotor Carlos Augusto e determinado pelo juiz Marcelo Santana Farias.

Agora resta saber se Guerreiro Junior vai continuar na mesma linha de posicionamento que vinha seguindo em relação ao processo do Prefeito afastado por corrupção.

Duas vezes corrupto

guerreiro

Agravo Regimental nº 0228272015, que os advogados do prefeito afastado deram entrada nesta terça(20).

Deco(PMN) é um exemplo de político que a sociedade deseja ver bem longe da gestão pública. Por duas vezes o Ministério Público ajuizou Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa, pedindo o afastamento de Deco e a indisponibilidade dos seus bens. Nas duas vezes ocasiões, os juízes titulares da Comarca de Humberto de Campos em decisão liminar atenderam o pedido do MP e afastaram o prefeito do cargo.

Sedento por recursos públicos, Deco conseguiu retornar a cadeira de Prefeito na primeira vez, e agora, insiste voltar a cometer mais irregularidade no Município.

Primeira cassação

Em março do 2014, ocasião que foi afastado do cargo pela primeira vez por decisão judicial pelo período de 180, Deco foi acusado de ter fraudado licitações para construir praças na cidade, com recursos oriundos de convênios com o governo estadual.

Segunda cassação

No último dia 05, o gestor foi novamente afastado por corrupção, segundo o Ministério Público apontou, o prefeito  apresentou ao Tribunal de Contas do Estado (TCE-MA) processo licitatório e respectivo processo de pagamento de uma quadra poliesportiva em escola no povoado Taboa, ao custo de R$ 143.594,54, no entanto, o MP comprou que a obra nunca foi concluída.

2 Comentários

  1. ricardo disse:

    “Quando a Justiça quer, os cestos sobem os rios, os peixes cantam nas árvores e os pássaros fazem ninho no fundo do mar…”

    (Humberto de Campos – “A sombra das Tamareiras” – 1934)

  2. francico disse:

    O destino de Humberto de campos está com Deus

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Cancelar Resposta

CONTAGEM REGRESSIVA

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894