18
abr
2016

Deputada que votou pelo impeachment amanhece com a PF na sua casa

Raquel Diniz ao votar “sim” pelo impeachment, ainda teve a cara de pau de pedir o fim da corrupção.

Raquel Muniz (PSD-MG) é casada com o prefeito de Montes Claros (MG), detido por crimes como falsidade ideológica, estelionato e prevaricação, nesta segunda-feira(18).

A parlamentar, após votar “sim” pelo impeachment na noite de ontem, domingo(17), aproveitou para pedir o fim da corrupção e homenagear o seu marido, o prefeito de Montes Claros (MG), Ruy Adriano Borges Muniz (PSB).

O que não era possível imaginar, é que menos de 12 horas depois do seu pedido, o marido de Raquel foi preso preventivamente pela Polícia Federal durante a operação “Máscara da Sanidade II – Sabotadores da Saúde” em Brasília (DF).

O gestor teria usado meios fraudulentos para beneficiar o Hospital das Clínicas Mario Ribeiro da Silveira, de sua propriedade, ao tentar inviabilizar o funcionamento do Hospital Universitário Clemente Faria, Santa Casa, Aroldo Tourinho e Dilson Goldinho.

3 Comentários

  1. CLESIO COELHO CUNHA disse:

    Clesio Coelho Cunha
    2 h ·

    Ontem foi de assustar.
    Deputados Federais analfabetos funcionais, que mal sabiam proferir um discurso; racistas, golpistas, debochados, misóginos, homofóbicos, saudosistas da Casa Grande, e outros remanescentes da senzala dando uma de capitão-do-mato, enganadores do templo disfarçados de evangélicos, pastores evangélicos safados e vendilhões do templo. Uma casa de envergonhar a nação e nos fazer passar vergonha perante o mundo, foi ontem a Câmara dos Deputados bem dirigida pelo chefe da gangue Eduardo Cunha.
    Mas o ponto alto da baixaria foi a homenagem feita pelo Bolsonaro ao Coronel Ustra, aquele que na ditadura enfiava ratos vivos na vagina das torturadas, um cara bem requintado em matéria de tortura. Um verdadeiro professor
    Homenagem a filhos, netos, esposas e maridos, cachorros, papagaios, Jerusalém, cidade natal e amantes. Um verdadeiro show de hipocrisia, mas nada sobre o crime de responsabilidade, protagonizados por hipócritas, gays enrustidos ( viu-se pela cara e pela fala de alguns que lá há um monte) onde só um é homem suficiente de assumir-se gay ( Jean Willys).
    Dr. Marlon Reis está certo, só com reforma política e mudança no financiamento de campanhas eleitorais, a Câmara dos Deputados terá a cara do povo. Aquela Casa que vimos ontem não é a casa do povo brasileiro, pois se assim fosse o Estado do Amazonas, que deu 70% dos votos pra Dilma nas eleições de 2014, não teria tido 100% de deputados contra Dilma, como ontem.
    Foi bom assistir, apesar do espanto, pois sou testemunha dessa página triste da História, que alguns deputados maranhenses não quiseram assinar. Parabéns a Pedro Fernandes, Junior Marreca, Aloisio Mendes, Zé Carlos, João Marcelo, Weverton Rocha e Valdir Maranhão e Rubem Jr., que não sujaram seus nomes naquele palco de horrores

  2. leo disse:

    DOIS LADRÕES HELDER(PRESIDIÁRIO) E SIDNEY(171) – EDUARDO CASTELO BRANCO 2016

  3. Antonio disse:

    É pra ver como é as coisas. A maioria dos que aprovaram o Impedimento são bandidos. Esse que foi preso é bandido já devia ter sido preso antes. Os golpistas que votaram sim, são na maioria bandidos.

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade