É dada como certa a filiação dos deputados federais Eduardo Braide e do Pastor Gildenemyr ao PSL, sigla do presidente da República Jair Bolsonaro. Eleitos pelo PMN – partido que não passou pela cláusula de barreira – os parlamentares têm livre abertura assegurado na Lei de fidelidade partidária para escolher seus novos destinos partidários. Braide foi o segundo mais votado do Maranhão com quase 190 mil votos, já o pastor da Igreja Assembléia de Deus foi apenas o 24º mais votado com 47 mil votos e só conseguiu se eleger graças ao desempenho de Eduardo, que o arrastou. Seis suplentes obtiveram mais votos que Gildenemyr, mas pela coligação acabaram não eleitos. Que sorte! Agradeça a Braide…

Gildenemyr só conseguiu se eleger graças ao desempenho de Eduardo que o arrastou…