31
dez
2013

A perseguição da mídia sarneysista e o primeiro ano de governo Edivaldo Jr

Na íntegra do Blog da Silvia Tereza

Sistema cobra, no primeiro ano, planos e projetos marcados para acontecer em quatro anos e “persegue” prefeito de São Luís que enfrenta ainda a barreira do governo Roseana Sarney 

Edivaldo Holanda Jr enfrenta a fúria do governo Roseana que cria barreiras, visando às eleições de 2014 e 2016

Edivaldo Holanda Jr enfrenta a fúria do governo Roseana que cria barreiras, visando às eleições de 2014 e 2016 

A imprensa sarneysista resolveu, neste finalzinho de ano, intensificar, de forma “enlouquecedora”, o bombardeio, que já vinha fazendo desde o início de 2013 contra o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr (PTC), com cobranças extremas, como se ele já estivesse no comando da Prefeitura da capital maranhense há pelo menos quatro governos, o que é o caso, sim, da governadora Roseana Sarney – que está esse tempo todo no poder – e não  conseguiu ainda tirar o Maranhão do estado de pobreza, miséria e de outras mazelas em que se encontra.

Blogs e demais modalidades midiáticas do Sistema  Sarney estampam índices de rejeição fantasiosos para o prefeito, cobram a execução de planos e projetos marcados para ocorrer durante os quatro anos de governo de Edivaldo Holanda Jr, mas “não sabem dizer” ou escondem que o prefeito não tem, por perseguição política, nenhuma forma de apoio do governo do Estado que também atrapalha a vinda de recursos federais para São Luís por questões já conhecidas por quem acompanha o dia-dia maranhense.

Com o bombardeio em cima de Edivaldo Holanda Jr, o grupo Sarney visa “ganhar terreno” nas eleições de 2014 e também de 2016. A estratégia é tentar enfraquecer o prefeito de São Luís para atingir, neste momento, o presidente da Empresa Brasileira de Turismo (Embratur)  e pré-candidato do PCdoB ao governo do Maranhão, Flávio Dino, para “cavar” votos ao pré-candidato sarneysista, seja o secretário de Infraestrutura, Luís Fernando, ou quem quer que seja.

A mídia sarneysista tenta confundir o cidadão ludovicense. 2013 foi apenas o primeiro ano do governo Edivaldo Holanda Jr, período para organizar a casa, fazer adaptações, encaminhar projetos e preparar o terreno para os próximos três anos. Mesmo assim, realiza diversas obras de pavimentação, de drenagem, iluminação, etc, em São Luís, livrando a cidade de problemas cruciais..

O que a mídia sarneysista esconde?

Mesmo com dificuldades financeiras, Edivaldo Holanda Jr realiza uma série de obras de infraestrutura em São Luís

Mesmo com dificuldades financeiras, Edivaldo Holanda Jr realiza uma série de obras de infraestrutura em São Luís

A mídia sarneysista esconde que o prefeito Edivaldo Holanda Júnior encerra o primeiro ano de gestão com saldo positivo, apesar das dificuldades financeiras, a partir de planejamento, modernização e qualidade dos serviços prestados à cidade de São Luís, mesmo sem contar com nenhum grão de poio do governo Roseana Sarney, que administra conforme seus interesses políticos, deixando os anseios da população de lado.

As dificuldades financeiras encontradas estão sendo saneadas. São Luís foi a única capital do país, onde a Prefeitura pagou 14 folhas de pessoal. Além dos salários dos 12 meses e 13º, o prefeito Edivaldo honrou o pagamento dos vencimentos de dezembro de 2012, atrasados pela gestão anterior.

Na educação, a regularização do calendário escolar foi o ponto de partida. O ano letivo estava comprometido. Em doze meses, um novo modelo de Educação foi instalado em São Luís. Foram implantadas as três primeiras escolas com educação integral e garantidos recursos junto ao governo federal para a construção de 10 escolas e 25 creches, das quais 13 tiveram contratos assinados e a construção começará nos próximos dias.

Para valorizar os profissionais da educação, a Prefeitura de São Luís reforçou os canais de negociação com os sindicatos e garantiu um reajuste salarial de 9,5% aprovado pela categoria, um dos maiores dos últimos anos, além de outros benefícios há muito reivindicados pela categoria, como 1/3 de hora atividade, titulações e progressões.

A Saúde foi outra área essencial onde ocorreram avanços. No início do ano, após a constatação do colapso no sistema público da capital, a administração iniciou a ampliação do sistema de retaguarda de leitos para restabelecimento dos atendimentos no Hospital da Mulher e Socorrões I e II. Reestruturou o SAMU (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência), ampliando o número de ambulâncias. Estão adiantadas as reformas dos Hospitais da Criança, da Mulher e das Unidades Mistas do Coroadinho e Residencial Alexandra Tavares, além do Centro de Saúde do Sacavém.

Na área de infraestrutura, estão em andamento as obras do sistema de esgotamento sanitário em 30 bairros da região Itaqui Bacanga. Serão realizadas de 31 mil ligações e pavimentação de ruas. Um investimento de R$ 42 milhões, que vai beneficiar mais de 110 mil pessoas.

A requalificação asfáltica de ruas a avenidas foi intensificada para reestruturar a malha viária. No Polo Coroadinho, mais de 400 ruas estão sendo pavimentadas, contemplando 20 bairros da região e beneficiando milhares de moradores.

Os serviços de iluminação pública e de limpeza foram melhorados. Este com a redução do contrato em cerca de R$ 4 milhões/mês.

Estão em ritmo acelerado as obras de construção do Centro de Esporte e Cultura, no Coroado, do Circo da Cidade, na Cidade Operária, além da aceleração para entrega das obras de canais Cohab/Cohatrac, Gangan, Rio das Bicas e Salina do Sacavém. Na Vila Embratel, mais de 30 mil metros de encanamento de água estão sendo instalados para levar água potável para todas as casas.

Em São Paulo, Haddade enfrenta dificuldade mesmo com apoio de Dilma. Imagina Edivaldo em São Luís! 

Prefeito de São Paulo governa com dificuldades mesmo com apoio da presidenta Dilma

Prefeito de São Paulo governa com dificuldades mesmo com apoio da presidenta Dilma

Não é só o prefeito de São Luís, Edivaldo Holanda Jr, que  administra, com esforços próprios, sem apoio do governo federal, aqui por questões políticas que passam por interesses do grupo Sarney. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), petista de carteirinha, sem dinheiro para investimentos e com dificuldades na seara política, foi abandonado pela presidenta Dilma Rousseff, considerada sua mais forte aliada.

Matéria publicada pela Agência Estado revela que,  até agora, porém, não há sinais de que a presidenta, candidata à reeleição, vá ajudar Haddad a recuperar as finanças da Prefeitura a curto prazo. E imagina se não fosse um aliado petista?

E se o prefeito de São Paulo, maior cidade brasileira, que é aliado do grupo da presidenta Dilma, está encontrando dificuldade financeira e falta de apoio e recursos para administrar, imagina só o prefeito de São Luís que governa com a perseguição do governo do Estado, da mídia sarneysista e com poucos recursos do governo federal.

Mas mesmo assim, é preciso dizer que o prefeito Edivaldo Holanda Jr está dando a volta por cima, equilibrando as finanças do município e realizando obras…

0 Comentários

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo