19
jun
2020

A nota de repúdio delirante, oportunista e descabida do Dep. Yglesio sobre o caso Diogo Sarney

Parlamentar usa a Comissão de Direitos Humanos para atacar a imprensa e pedir que veículos de comunicação sejam processados por divulgar a versão da polícia sobre a prisão de Ayrton Campos.

Parlamentar usou a comissão de direitos humanos para atacar a imprensa...

Parlamentar usou a comissão de direitos humanos para atacar a imprensa…

Um mesclado de delírio e oportunismo barato, dessa forma pode ser explicada uma nota de repúdio publicada pelo deputado estadual Yglesio Moises (Pros) na noite desta quinta-feira (18) após a liberação pela Justiça do jovem Ayrton Campos Pestana, que deixou o Complexo de Pedrinhas onde ficou preso por dois dias, suspeito de matar o publicitário Diogo Adriano Campos Costa na terça-feira (16) na Lagoa da Jansen, em São Luís.

A soltura de Ayrton se deu após um laudo do Instituto de Criminalística que não encontrou vestígios de pólvora nas mãos dele e tampouco no carro da família. O Icrim também detectou que o laudo realizado no veículo Argo vermelho, placa PTJ-2844, pertencente ao pai do jovem, não se tratava do mesmo carro do crime, um dos carros é um Argo comum e o outro é modelo drive; um deles possui limpador traseiro e o outro não.

Vestindo o manto de presidente da Comissão de Direitos Humanos da Assembleia Legislativa do Maranhão, o deputado Yglesio escreveu uma nota na qual culpa agentes públicos, mas não cita os nomes desses personagens, e diz que esses se permitiram ser manipulados por pressão externa às instituições que integram, principalmente dos veículos de comunicação e das redes sociais.

Foi as redes sociais e a imprensa que inventaram o nome Ayrton Campos Pestana? Foi a imprensa que mandou prender Ayrton? Foi a imprensa que assinou o mandado de prisão do jovem? Foi a imprensa que o mandou para o Complexo Penitenciário de Pedrinhas, o vestiu de laranja e tirou a foto de detento?

Não, deputado, não foi!

A imprensa e as redes sociais só fizeram o seu papel de informar mediante a fonte oficial, que é a polícia.

O deputado não se deu o trabalho de assistir as três entrevistas do delegado Wang Chao Jen nos telejornais da TV Mirante, se tivesse assistido saberia quem errou, e não foi a imprensa, tampouco as redes sociais.

Os veículos de comunicação apenas ecoaram o que foi tornado público pela Superintendência de Investigação de Homicídios e Proteção a Pessoa (SHPP).

Na nota delirante de Yglesio, ele ainda cita autores de livros que criticam as redes sociais ao ponto de concordar que ‘a sociedade brasileira é retrógrada e dilacerada, bifronte e esquizofrênica’.

O parlamentar ainda justifica que, ‘por essa razão, há tantas manifestações de repúdio ao Poder Judiciário e as instituições do sistema de Justiça.’

– Pedido absurdo 

Mas, nada, beira tanto o cúmulo do absurdo quando Yglesio cita Voltaire [escritor e filósofo iluminista francês] e defende a condenação de todos os veículos de comunicação que publicaram a versão da policia civil quando da prisão de Ayrton.

O deputado esquece que as mesmas redes sociais e a imprensa que ele incentiva para serem processados, foram as mesmas as quais a família de Ayrton recorreu para que o caso tivesse uma reviravolta e o jovem fosse solto.

Portanto, ao contrário do que prega o parlamentar, a imprensa não errou, e verdade seja dita, foi decisiva para tirar o inocente da cadeia.

– Oportunismo não é de hoje

Qualquer fato cotidiano que tenha repercussão nas redes sociais é “roubado” por Yglesio como causa de defesa focando meramente na promoção pessoal, como por exemplo, nesse caso da morte de Diogo Sarney.

Foi assim quando em setembro de 2019, aconteceu o acidente automobilístico no bairro do Jaracaty em São Luís no qual vitimou 11 pessoas, destas, cinco morreram.

No pico da pandemia do coronavírus, em março, o parlamentar chegou ao cúmulo de gravar uma paródia e surgiu como cantor, a cena foi hilária.

Mais recentemente, Yglesio deu uma de Guarda de Trânsito e foi tirar fotos em barreiras de trânsito durante as abordagens no cumprimento das normas do lockdown (bloqueio total) em São Luís.

Vale tudo para aparecer…

Leia a íntegra da nota de Yglesio AQUI

4 Comentários

  1. Jorge disse:

    Você fala que a imprensa foi decisiva pra reviravolta do caso, mas omite que quando a família lhe procurou pedindo ajuda pra divulgar o vídeo que inocentava Ayrton, você disse que o pai dele mentiu e que o vídeo comprovava que o Ayrton matou o Diogo. É esse tipo de imprensa que o deputado corretamente critica. Imprensa que ao invés de oportunizar o contraditório, prefere promover o linchamento público das pessoas. Quem é o oportunista agora?

  2. blank José Iran disse:

    Concordo plenamente com seu repúdio,meu caro escriba.A imprensa em todos niveis cumpriu seu papel de informar o que foi de viva voz declarado pelo incompetente Delegado.Todos os dados foram coletados junto à Polícia que deu detalhes.Hipocrisia desse Deputado puxa saco tentando defender o Estado de sua incompetencia.

  3. blank Eleitor indignado disse:

    Esse moço quer é aparecer.
    Procurando aqui o que esse moço fez em prol do Maranhão e não encontrei nada.

  4. blank Eleitor indignado disse:

    Oportunista esse sujeito.
    Ele é daqueles que ataca os adversários só pra chamar a atenção.
    Peço-lhes que toda vez que esse oportunista atacar alguém não dêem atenção.
    É isso que ele quer.
    Não tem um projeto em favor da população.
    Foi mais um eleito porque tinha recursos.

Deixe o seu comentário!

Os comentários são de responsabilidade exclusiva de seus autores e não representam a opinião do autor deste blog.

  • Você também pode comentar usando o Facebook!

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894

Publicidade

blank

TV TIMBIRA

blank

RÁDIO TIMBIRA

 

Rádio Timbira Ao Vivo