Advogado está entre os presos de operação da Polícia do Piauí e Maranhão envolvendo carga roubada.

Luis Carlos da Silva Coelho, Francisco da Silva Coelho Filho, Francisco de Assis Costa Filho e Regis Gomes Noronha Mota, este último advogado.

As Polícias Civil do Piauí do Maranhão e a PRF (Polícia Rodoviária Federal), em uma operação conjunta efetuaram a prisão de quatro indivíduos, identificados como Francisco da Silva Coelho Filho, Luís Carlos da Silva Coelho, Francisco de Assis Costa Filho e Regis Gomes Noronha Mota, este último advogado, acusados do crime de receptação, e apreenderam cargas roubadas avaliadas em R$ 1 milhão.

De acordo com informações da polícia, as primeiras prisões ocorreram na última sexta-feira (15), no município de Caxias (MA), onde foram presos Francisco da Silva e Luís Carlos, acusados de terem conduzido caminhões com cargas de leite roubadas na cidade de Imperatriz (MA).

Na ação, Francisco da Silva relatou à policia que em um galpão em Caxias haveria uma carga de café roubada em Minas Gerais, que foi apreendida pelos policiais. As diligências da operação então avançaram para Teresina, onde, em uma empresa situada no bairro São João, foi apreendida uma carga de leite e café roubada e Francisco de Assis foi preso.

Na manhã de sábado (16), a policia apreendeu uma carga de leite em uma distribuidora de Timon (MA). A carga teria sido roubada no município piauiense de Valença há cerca de 10 dias. Ainda foi cumprido mandado de busca e apreensão em uma empresa do ramo de atacado situada na Avenida Presidente Kennedy, na zona Leste de Teresina, onde foi apreendido o restante da carga de leite e efetuada a prisão de Regis Gomes, por receptação.

A operação foi coordenada pelos delegados Tales Gomes e Daniel Pires. As prisões foram comunicadas ao Poder Judiciário e as investigações seguem em curso para determinar a participação de outros empresários na receptação das cargas roubadas.

Polícia apreende carga de café e leite roubado avaliada em R$ 1 milhão; Quatro pessoas foram presas em Caxias, Timon e Teresina suspeitas de crime de receptação.

Coronel Monteiro mostra mais prestígio que Maura Jorge no governo Bolsonaro.

Enquanto a candidata derrotada ao governo do Maranhão na eleição de 2018, Maura Jorge, corre desesperadamente em busca de um emprego no governo do seu correligionário Jair Bolsonaro, o insignificante político Coronel Monteiro mostrou prestígio frente à ex-prefeita de Lago da Pedra.

Nesta segunda-feira (18), setores da imprensa maranhense destacaram que o “ex-pré-candidato” ao governo do Estado irá assumir a Superintendente de Coordenação e Governança do Patrimônio da União no Maranhão (SPU/MA).

O cargo até então era ocupado pelo advogado Rafael Carvalho Ribeiro, irmão do deputado federal André Fufuca (PP).

Coronel Monteiro foi convidado para a função federal pelo secretário adjunto da SPU do Ministério da Economia, Coronel Mauro Benedito.

No caminho contrário, Maura Jorge segue em busca de um espaço no Governo Federal.

Weverton, senador do Maranhão e líder do PDT no Senado

O Governo Federal anunciou que enviará nas próximas semanas uma proposta de reforma da Previdência ao parlamento, com o objetivo de equilibrar as contas públicas. Também anunciou que está tentando costurar um pacote de medidas para combater o crime e a corrupção, que é de fato um tema importante. Mas passados um mês e meio da sua posse, o presidente ainda não respondeu à principal pergunta do povo brasileiro: o que será feito para reaquecer a economia e gerar novos empregos.

A Organização Internacional do Trabalho (OIT) divulgou recentemente estudo que aponta uma recuperação lenta da taxa de empregos no Brasil. A perspectiva é que o nosso país chegue ao final de 2020 com o índice de desemprego ainda na casa dos 11%, ou seja, ligeiramente menor que o atual 12,3%. Isso é praticamente o dobro da taxa mundial.

Falando assim, em taxas, já parece assombroso. Mas gosto lembrar que por trás dos números há pessoas de verdade. Há 12 milhões e 800 mil brasileiros e brasileiras, pais e mães de família, que estão desempregados ou vivendo na informalidade. Pessoas que estão enfrentando dificuldades para pagar o aluguel; que precisam escolher entre pagar a conta de luz ou comprar comida para os filhos; que um dia terão dificuldade de se aposentar, porque o governo quer que elas comprovem tempo de carteira assinada.

É dramático. Mas não tem que ser assim. O governo federal precisa assumir seu papel e anunciar medidas para a retomada do crescimento da produção e da oferta de empregos.

Trata-se de uma pauta prioritária a qualquer outra. É anterior à da Previdência, porque o grande número de desempregados reduz a base de contribuintes. E é anterior à da segurança, porque com mais jovens trabalhando de carteira assinada, o crime organizado terá menos novos “soldados”.

Esta semana, no Senado, defendi que usemos nossas energias para discutir de forma séria e transparente as condições para um crescimento econômico inclusivo, no qual o brasileiro lá da ponta tenha direito a ter novamente sua carteira assinada.

O governo federal precisa colocar a geração de empregos como pauta prioritária no debate nacional. Essa é a resposta que o povo espera. E como senador, irei cobrar que ela seja dada com urgência.

As festividades do carnaval de Pinheiro estão mantidas sem nenhuma alteração na programação

Depois do grande esforço de uma força tarefa encabeçada pelo prefeito de Pinheiro, Luciano Genésio,  a situação na barragem do Rio Pericumã foi controlada. Em Nota, a prefeitura informou a situação da barragem e afastou a possibilidade do decreto de estado de calamidade no município. Com a abertura de uma das comportas, o nível do rio baixou e as famílias afetadas pelo alagamento puderam  retornar para suas casas.

Por conta da possibilidade de ser decretado estado de calamidade, o carnaval de Pinheiro corria risco de ser cancelado. Com as ações rápidas  no controle da situação na barragem, a prefeitura também confirmou a programação de um dos mais tradicionais e melhores carnavais do Maranhão.

NOTA OFICIAL

A Prefeitura de Pinheiro vem a público informar a toda sociedade que:
No último domingo (10) em uma tentativa de abrir uma das comportas da Barragem do Rio Pericumã, um cabo se rompeu impossibilitando o pleno funcionamento da estrutura.Devido as intensas chuvas dos últimos dias e sem o escoamento programado, o Rio Pericumã transbordou inundando centenas de casas, restaurantes e pontos turísticos da cidade.

Sem resposta imediata do Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS – órgão responsável pela manutenção da barragem – a Prefeitura de Pinheiro iniciou uma força tarefa para a substituição do cabo danificado e abertura das comportas.
Na quarta-feira (13) técnicos da administração municipal conseguiram realizar com êxito a substituição do cabo de uma das comportas. Destacamos o trabalho de excelência de nossos profissionais que trabalhavam contra o tempo. A troca dos cabos é uma manobra arriscada e que precisa respeitar o movimento das marés sendo possível apenas com a maré baixa.

Ainda na quarta-feira (13) foi possível a abertura de uma das quatro comportas que compõe a barragem, possibilitando o escoamento gradativo do Rio Pericumã.
Na manhã desta sexta-feira (15) registramos o recuo de aproximadamente 60 centímetros do nível do Rio na altura da Barragem.

A região ribeirinha não se encontra mais em estado de alagamento e as famílias que tiveram que evacuar suas residências puderam retornar com tranquilidade nesta sexta-feira.

Informamos ainda que a Prefeitura de Pinheiro fez um levantamento das famílias atingidas e está prestando toda assistência necessária.

Sobre o cancelamento DO CARNAVAL

Uma avaliação da Defesa Civil Municipal e Estadual realizada na quinta-feira (14) observou a necessidade de Decreto de Estado de Calamidade caso a abertura de apenas UMA comporta não fosse suficiente para o escoamento do rio a curto prazo.

Após uma vistoria técnica de um Engenheiro do DNOCS e do Comando Geral do Corpo de Bombeiros que sobrevoou o local nesta manhã (15), observou-se o sucesso do trabalho executado pela administração municipal sendo descartada a necessidade de decreto de estado de calamidade.

Dito isto, informamos a toda sociedade que as festividades do carnaval de Pinheiro estão mantidas sem alterações em sua programação.

Reiteramos que a manutenção da Barragem do Rio Pericumã é de responsabilidade do Governo Federal pelo Departamento Nacional de Obras Contra as Secas – DNOCS – e que a Prefeitura de Pinheiro vem realizando esse trabalho há dois anos sem qualquer ajuda ou recurso do Departamento.

Temos o compromisso e o dever de assegurar dignidade, segurança e bem-estar social a população pinheirense e para isso, todas as medidas possíveis estão sendo tomadas dentro da esfera municipal.

Osmar Filho e Kátia Bogéa também trataram do projeto de restauração da Fábrica São Luís, na região central da cidade.

O presidente da Câmara Municipal de São Luís, Osmar Filho (PDT), deu prosseguimento, na última  sexta-feira (15), à sua agenda de trabalho em Brasília.

Acompanhado do deputado federal Pedro Lucas Fernandes (PTB); dos vereadores Marquinhos (DEM) e Estevão Aragão (PSDB); além do procurador-geral da Casa, Vitor Cardoso, o pedetista participou de reunião de trabalho com a presidente do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN), Kátia Bogéa.

Os parlamentares solicitaram novos investimentos para a capital maranhense, oportunidade na qual foram informados oficialmente que o órgão federal, este ano, injetará cerca de R$ 80 milhões na execução de ações de revitalização do Centro Histórico.

Osmar Filho e Kátia Bogéa também trataram do projeto de restauração da Fábrica São Luís, na região central da cidade.

O projeto, orçado em cerca de R$ 45 milhões, prevê que a nova sede do Poder Legislativa Municipal seja instalada na referida área. “Foi uma reunião muito produtiva. O IPHAN, este ano, promoverá ações importantes no Centro Histórico. Paralelo a isso, recebemos, mais uma vez, o apoio da companheira Kátia no sentido de unirmos forças para conseguirmos viabilizar a construção da tão sonhada nova sede da Câmara de São Luís”, afirmou o presidente.

No próximo dia 25, a presidente do órgão federal e o seu superintendente regional, Maurício Itapary, estarão na Câmara de São Luís participando de reunião com os vereadores.

Os políticos maranhenses também estiveram na sede do Banco do Brasil, onde foram recebidos por Ênio Ferreira, representante da instituição pública.

Foi discutida a possibilidade da elaboração de contratos para concessão de microcréditos para trabalhadores informais de São Luís, além de futuras parcerias institucionais entre a Câmara e o Banco.

Os vereadores e o deputado federal reuniram-se com o diretor-geral da Agência Nacional de Energia Elétrica (ANEEL), André Nóbrega.

Eles receberam informações detalhadas acerca da elaboração das tarifas cobradas no Maranhão e agendaram para o mês de março, em São Luís, uma audiência pública na qual o tema será tratado com a sociedade organizada.

A audiência pública, assim como o encontro na capital federal, foram solicitações feitas pelo vereador Marquinhos.

“O presidente Osmar, ao promover esta vasta agenda de trabalho em Brasília, mostra comprometimento não apenas com o Parlamento Ludovicense, mas principalmente com o povo de São Luís”, avaliou Pedro Lucas.

Marisa Rosas mandou fazer 9 milhões de “santinhos” e mandou fazer 1,25 mil bottons, de acordo com a prestação de contas à Justiça Eleitoral.

Vendedora de Rosas, Marisa foi usada como “laranja” pelo deputado federal Cleber Verde.

Quem frequenta as noites nas casas de eventos de São Luís quase sempre é abordado por uma gentil vendedora de rosas vermelhas e bombos caseiros de chocolate recheados. Trata-se de Marisa Regina Duarte Teixeira, ou simplesmente Marisa Rosas, ex-candidato a deputada estadual pelo PRB.

Rosas obteve apenas 161 votos na eleição de 2018, mas de acordo com reportagem do Jornal Nacional desta sexta-feira (16), a morada da cidade de São José de Ribamar, gastou R$ 600 mil reais na campanha, conforme prestação de contas de seu partido, presidido do Maranhão pelo deputado federal reeleito Cléber Verde.

Marisa integra um grupo de várias candidaturas laranjas como as que levaram à crise do PSL, partido do presidente Jair Bolsonaro (assista a reportagem completa AQUI). A crise política tem como pivô o ministro Gustavo Bebianno (Secretaria Geral), que presidiu o partido durante a campanha eleitoral do ano passado.

Três gráficas receberam apenas da candidatura de Marisa Rosas R$ 540 mil. Uma das gráficas fica em Tuntum, pertence a um filiado do partido e fez material gráfico para a campanha de Cléber Verde.

Marisa Rosas mandou fazer 9 milhões de “santinhos” e mandou fazer 1,25 mil bottons, de acordo com a prestação de contas à Justiça Eleitoral.

– Outro lado

O partido e o deputado – A direção nacional do PRB disse que determinou que os candidatos do partido deveriam assinar um termo demonstrando os gastos de campanha e se isentou de qualquer possibilidade de má gestão do dinheiro de campanha. O deputado Cléber Verde disse ao JN que os recursos foram usados única e exclusivamente nas campanhas das candidatas. Ele alegou que a gráfica foi escolhida pela qualidade e que a candidata mostrada na reportagem é militante do partido.

O TRE-MA – O Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) disse que as contas da candidata estão sendo analisadas.

Marisa Rosas – Indagada se é muito material para pouca gente, ela respondeu: “Pode se dizer que sim, se você está mensurando a quantidade do Maranhão, pode até se dizer. Mas, na hora, a gente não trabalha somando bottons, a mesma coisa do ‘santinho’”, disse. Marisa Rosas disse que confiou nos colegas de partido para contratar as três gráficas que receberam, só dela, R$ 540 mil. Ela disse que confiou na gráfica e no partido. “Não só na gráfica, porque a gráfica mandava entregar no diretório, na central do partido”, afirmou.

É HOJE! sábado, dia 16, o carnaval Popular Fest que acontece a partir das 17hs no Centro de São Luís, ao lado Terminal Integração do Reviver. Com entrada franca até as 20hs, o evento tem como atrações, a diva do forró Marapavanelly com seu novo show no clima do carnaval e, ainda, o cantor Bruno Shinoda, Bicho Terra, e Mega Itamaraty. Segurança, conforto e uma grande estrutura montada para fazer a sua festa de pré-carnaval.

Pelas redes sociais o ex-ministro do Turismo, Gastão Vieira (PROS), anunciou nesta sexta-feira (15) que irá retornar a ocupar uma cadeira na Câmara Federal. Ele assumirá a cadeira do deputado Rubens Pereira Júnior (PCdoB), que irá ser nomeado na Secretaria de Cidades do governo do Estado.

Segundo suplente, Gastão foi beneficiado pelo fato do primeiro suplente, Simplicio Araújo, já ter sido nomeado na Secretaria de Estado da Industria e Comércio.

Gastão Vieira reconheceu o gesto do governador Flávio Dino e comentou o desafio de retornar à vida pública. “Vamos assumir. A vida pública é um desafio. Tem sido para mim, superado pelo compromisso em trabalhar pelo Maranhao e pelo Brasil. Neste momento em que retorno à Câmara Federal, registro profundo agradecimento ao apoio e acolhimento pessoal que o governador Flávio Dino me ofertou com indiscutível sinceridade. Conte comigo, Governador! Honrarei a sua confiança. Muito obrigado e grande abraço a todos”, escreveu Gastão.

Itamilson Corrêa Lima questionou a aptidão de Marlon Botão para lidar com a cultura popular, disse que está na hora de repensar as indicações para o cargo, que exige do ocupante sensibilidade e compreensão do que é cultura.

Ladeado de belas moças, o presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Maranhão (Liesma) e presidente da Turma de Mangueira, Itamilson Corrêa Lima.

O presidente da Liga Independente das Escolas de Samba do Maranhão (Liesma) e presidente da Turma de Mangueira, Itamilson Corrêa Lima, não poupou críticas ao secretário municipal de Cultura, Marlon Botão, durante entrevista que concedeu no início da tarde desta sexta-feira ao programa Carnaval na Difusora, apresentado pelo jornalista Joel Jacintho e pelo radialista Juarez Souza.

O dirigente acusou o titular da Secult de tratar com desrespeito a cultura popular ao mentir sobre a liberação do recurso destinado pela Prefeitura de São Luís às agremiações. Diante do que chamou de descaso, Itamilson ameaçou cancelar o desfile de passarela deste ano.

Italmilson Lima deu um ultimato: se até este fim de semana o impasse financeiro não for resolvido, na próxima segunda-feira, convocará uma entrevista coletiva para anunciar o cancelamento dos desfiles. Dez escolas disputam, este ano, o Carnaval de Passarela: Terrestre do Samba, Mocidade da Cohab, Império Serrano, Mangueira, Flor do Samba, Unidos de Fátima, Túnel do Sacavém, Turma do Quinto, Favela do Samba e Marambaia. A programação de desfiles foi anunciada no final de janeiro.

Revoltado com a postura de Marlon Botão, o presidente da Liesma questionou a aptidão do secretário para lidar com a cultura popular. Segundo ele, está na hora de repensar as indicações para o cargo, que exige do ocupante sensibilidade e compreensão do que é cultura, o bom trato com pessoas humildes, dentre outras afinidade.

Itamilson Lima revelou que a princípio ficou acertado que questões relativas ao custeio do Carnaval pelo poder público não seriam expostas. Segundo ele, seu manifesto foi motivado pelo desrespeito com que o secretário vem tratando o Carnaval e os grupos que fazem a festa. E acrescentou que algumas escolas ainda não têm nada preparado para o desfile faltando cerca de 15 dias para o Carnaval de passarela, pois aguardam a liberação da verba.

Situação do secretário municipal de Cultura, Marlon Botão, é complicada; contra ele pesam, ainda, acusação de favorecimento a empresário…

O dirigente alegou, ainda, que os materiais usados para a confecção das alegorias, fantasias e outros itens usados pelas escolas nos desfiles são de alto custo e que muitos artigos não estão disponíveis no mercado local, o que obriga os carnavalescos a recorrer a outros estados, encarecendo ainda mais a produção.

Afirmou, também, que todos os dias conversa com Marlon Botão, pelo menos duas vezes, por telefone, em busca de informações sobre a verba das escolas. Segundo ele, o secretário já chegou a garantir que o dinheiro já fora liberado, informação que logo depois se mostrou mentirosa, já que o montante já pago foi destinado à empresa responsável pela estrutura de passarela.

Ainda de acordo com Itamilson, a explicação do secretário é de que problemas no Banco do Brasil estariam impedindo o repasse do recurso.

– LEIA TAMBÉM:

– A relação de R$ 11 milhões entre Marlon Botão e Carlos Junot na Cultura de São Luís;

1 2 3 1.039

Siga-me no Facebook

Contatos


Email: domingos.costa@hotmail.com
WhatsApp: (98) 98807-7894
Celular: (98) 98160-1081

RÁDIO TIMBIRA

https://www.ma.gov.br/wp-content/uploads/2018/07/Timbira-Banner-player-2018.gif?w=700

Publicidade